O poder e o vento

Viviam em um lugar onde a vida passava ao sabor do vento.

Todos como seres alados.

Não que fossem.

Apenas pensavam que eram.

Eternamente insatisfeitos, procurando, como o vento, um jeito diferente de se fazer mover.

Alguns itens tinham pouco.

O que tinham em abundância era azul.

Céu.

Mar.

Curiosidade e o vento.

Era tão natural procurar, pesquisar, inovar, fazer diferente que ninguém percebia a realidade.

Todos os dias, quando o sol se levantava para iluminar o que azul já estava, todos despertavam para procurar o novo.

E, assim, buscando, cada qual a seu modo, iam se apropriando, cada um a sua maneira.

Quando a propriedade tinham, mesmo não sendo plena, já começavam a distribuir.

O azul do céu, do mar, da curiosidade e do vento tornava a busca incessante sempre leve e feliz.

Tudo era tão natural e espontâneo que a realidade por eles não era notada.

Até que, um dia, o Forasteiro por ali passou.

Ficou por alguns dias e logo viu o que ninguém ali percebia:

“Por todos os lugares por onde andei esse é o povo mais poderoso que já conheci. Eles têm o azul, o céu, o mar, o vento e a maior de todas as riquezas: o conhecimento.”

Vivian Antunes

Vivian Antunes

Vivi Antunes é ajuntadora de letrinhas e assim o faz às segundas, quartas e sextas no www.viviantunes.com.br
Categorias