Óculos de realidade virtual faz sucesso no estande do Brasil na COP 27 e leva visitantes para um tour pela Amazônia

Mais de mil pessoas, de mais de 80 países, já experimentaram a viagem à maior floresta tropical do planeta durante o evento no Egito

 

Por: Ministério do Meio Ambiente/Ascom

 

A cena tornou-se comum no ponto mais iluminado e interativo do estande do Brasil montado em Sharm El-Sheik, no Egito, para a 27ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (COP 27): pessoas com um moderno óculos de realidade virtual girando em torno da cadeira, movendo o pescoço para cima e para baixo, e sorrindo, maravilhadas com o que estão vendo.

Por meio de óculos de realidade virtual, o público da COP 27 tem, no Egito, a oportunidade de ser transportado para uma viagem de dez minutos pela Floresta Amazônica. A tecnologia permite ao visitante experimentar um passeio de barco pelo Rio Amazonas, ser recebido na casa de uma família ribeirinha cuja eletricidade é toda gerada por meio de painéis solares, adentrar pela rica vegetação da floresta e, em um dos momentos mais emblemáticos da viagem, conhecer o Observatório da Torre Alta da Amazônia (ATTO).

Trata-se de um importante projeto de pesquisa, instalado no meio da floresta, que conta com uma torre de aço de 325 metros de altura, maior do que a Torre Eiffel, em Paris, cujo objetivo é captar informações que permitam aos especialistas expandir nosso entendimento da Floresta Amazônica e suas interações com o solo abaixo e a atmosfera.

Até esta terça-feira (15.11), mais de mil visitantes, de mais de 80 países, já haviam experimentado o tour virtual, produzido pela Secretaria Especial de Comunicação (SECOM) do Ministério das Comunicações, em parceria com o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações, Ministério de Minas e Energia e Ministério do Meio Ambiente.

“Muito obrigado pela experiência”, agradece a egípcia Sarah Noaman. “Foi incrível! Eu quero morar lá e não quero nunca mais deixar esse lugar. E a torre é incrível. É tão alta…”, prossegue.

A experiência foi impactante mesmo para quem já está acostumado com a floresta, como o cacique brasileiro Ninawa. “A tecnologia tem avançado cada vez mais e é possível, por meio da realidade virtual, poder fazer uma viagem pela Amazônia. É o que está sendo apresentado aqui no estande do Brasil. É uma produção de alta qualidade, onde tem mostrado algumas partes da Amazônia e da realidade de como as pessoas vivem lá”, elogia.

Para Cheikh Konate, representante da Mauritânia, a viagem deixou claro o compromisso do Brasil com as propostas da economia verde e das agendas da COP 27. “Foi uma experiência incrível. Eu tive a sensação de estar em um helicóptero sobrevoando todo o Brasil. O Brasil é profundamente comprometido com a economia verde. Realmente existe energia e economia verde no Brasil”, afirma.

“Quando você coloca os óculos, eles te levam para o Brasil, para ver as pessoas e se sentir como se estivesse no país”, ressalta a egípcia Shereen Badr. “Eu experimentei a performance de realidade virtual e é super incrível. É uma experiência muito legal e eu encorajo todos vocês a virem visitar o pavilhão brasileiro e a COP 27”, reforça.

Secretário da Amazônia e Serviços Ambientais do Ministério do Meio Ambiente, Marcelo Freire destaca a importância de o estande brasileiro na COP 27 contar com mais este atrativo para aproximar os visitantes estrangeiros e mesmo os brasileiros não apenas da Amazônia, mas das políticas públicas que são desenvolvidas para a proteção dos biomas nacionais.

“É a maior floresta tropical do planeta, uma riqueza natural que fascina as pessoas em todos os países, mas a maioria não tem a oportunidade de visitar a Amazônia. Poder trazê-la para perto deles na COP 27 de forma tão realista é algo incrível e estamos muito felizes com a reação das pessoas de todo o mundo ao experimentarem esse tour pela Amazônia”.

 

 

Fotos: Ruben Naftali/SECOM

Jornal do Sudoeste

Os comentários são de responsabilidade de seus autores.

Deixe seu comentário

Categorias ,