Opiniões contrárias

Faz alguns anos que sou músico, já gravei CD e toquei em muitos lugares, levando música e uma mensagem positiva para muitas pessoas. Foi um tempo muito bom, retirei deste período muito aprendizado.

Nesta banda, tive por um bom tempo um membro que sempre discordava do que eu fazia. Qualquer coisa que eu planejasse, qualquer música ou letra que eu compusesse, ele sempre tinha uma crítica. No começo eu não gostava muito, por ser novo e inexperiente, mas com o tempo, comecei a perceber que as críticas acabavam servindo para ajustar e alinhar as ideias da banda. Era interessante ouvir a opinião contrária, isso fazia com que as decisões fossem mais equilibradas, impactando no resultado final das composições.

É muito comum nos cercarmos de pessoas que concordam conosco, afinal, nem sempre todos sabem lidar com opiniões contrárias, por isso, optam pelo mais fácil, é cômodo estar entre os que concordam.

A questão é que quando nos rodeamos somente de pessoas assim, deixamos de crescer, perdemos a oportunidade de ouvir um outro ponto de vista, de enxergarmos os nossos equívocos e até de aprender novas formas de fazer a mesma coisa.

A discordância nos obriga a pensar, a revisitar nossas ideias e conceitos, a repensar no assunto e a procurar novas formas de executar o trabalho. O autor Haddon W. Robinson afirma em seu livro que “as discordâncias nos forçam a verificar nossos dados e explicar os fundamentos da nossa decisão”.

É muito comum não percebermos nossas contradições. É totalmente normal não olharmos nossos equívocos, principalmente quando estamos em vistas de tomar algumas decisões, por isso que, nestes casos, é sempre bom contar com a opinião de alguém de confiança e ouvir outras opiniões.

Quem convive com quem discorda, pode ter em seu alcance, novos pontos de vista e usar isso a seu favor. É claro que eu não estou falando daqueles que discordam só por discordar, que no final reclamam, mas não acrescentam e sim, das pessoas que sabem refletir e possuem opinião própria e boas ideias.

Aprenda a ouvir opiniões contrárias e a refletir sobre o que é dito, para depois tirar alguma lição. Descubra o poder de ouvir e de como muitas vezes podemos fazer a mesma coisa, porém de formas diferentes.

Quem ouve apenas o que quer, não cresce e muito menos percebe suas contradições. Agora quem sabe ouvir, não só aprende, mas descobre muitas outras possibilidades que até então ele pode não ter percebido.

Guilherme Augusto de Carvalho

Guilherme Augusto de Carvalho

Guilherme Augusto de Carvalho é professor dos cursos de Filosofia e Teologia do Centro Universitário Internacional Uninter.
Categorias