Os talentos do futuro futebol brasileiro

Por: Sérgio Rocha

O Brasil sempre foi um celeiro do futebol mundial. Craques são revelados em profusão e muitos sequer
fazem carreira por aqui, já que muito jovens, ainda nas categorias de base, são levados para clubes do
exterior. Rastrear tantos talentos torna-se, dia a dia, tarefa das mais difíceis. Contudo, se nos detivermos
no âmbito doméstico, ou seja, se investigarmos a base do futebol brasileiro, e os mais recentes
promovidos às equipes principais, é possível listar alguns talentos promissores, verdadeiros bônus angariados às custas de muito trabalho e dedicação.
O meia-atacante Gabriel Pec, de dezenove anos, já atua pelo profissional do Vasco da Gama e vem
chamando a atenção de clubes do estrangeiro. Atuando mais pela direita, ao feitio dos antigos pontas, é
veloz, driblador, tem ótimo passe e visão de jogo acima da média. De olho nele!
Outro promissor vascaíno, é o volante Caio Lopes, de vinte anos. Incorporado à equipe de cima nesta
temporada, Caio é elogiado pela extrema maturidade. Atua com inteligência e elegância como um
veterano que já conhece todos os atalhos em campo.

Parece que a base do Vasco da Gama vem vivendo excelente safra. É de lá que vem, também, o meio-
campista Juninho. Com dezenove anos e bastante elogiado pelo treinador, Vanderlei Luxemburgo,

destaca-se pela habilidade e força física.
Famosa pelos raios que caem com frequência por lá, a Vila Belmiro revelou bem recentemente, o jovem
atacante de apenas dezessete anos, Renyer. Alçado à equipe principal em 2020, sofreu uma grave
contusão no joelho e acabou de fora daquela temporada e ainda não está completamente recuperado.
Extremamente habilidoso, é uma joia que promete muito.
Mais um raio santista, o atacante Ângelo, de apenas dezesseis anos. Figura sempre presente nas
convocações das seleções de base, é o segundo jogador mais jovem da história da Santos, a disputar uma
partida entre os profissionais no campeonato brasileiro. Talento puro.
A Vila famosa traz uma promessa para o futebol brasileiro, trata-se de Sandry, volante de dezoito anos.
Campeão mundial sub-17 pela seleção em 2019, Sandry é da estirpe dos grandes volantes santistas, como
Zito e Clodoaldo. Excelente marcador e ótima saída de bola, são as suas principais características.
Das Laranjeiras, vem o atacante John Kennedy. Com apenas dezoito anos, é o maior destaque da base
fluminense na atualidade e está pronto para integrar o profissional. Nas categorias de base tem fama de
carrasco do Flamengo, o que faz dele um ídolo tricolor. Kennedy é um goleador nato, rompedor.
Fiquemos atentos.
Luan Freitas é um zagueiro de dezenove anos, revelado na base do Fluminense. Com passagens nas
seleções de base, Luan Freitas desponta como liderança nata.
No Corinthians, quem desponta com muito potencial é o meia Gustavo Mantuan, de dezenove anos.
Infelizmente, jogando pela seleção sub-20, sofreu uma grave lesão no joelho e está em processo de
recuperação. Muito talentoso, é um meia clássica, armador muito inteligente, tem tudo para brilhar.
O centroavante Cauê, de apenas dezoito anos, é outra jovem promessa do Corinthians. Recentemente,
convocado para a seleção brasileira sub-20, foi artilheiro em torneio internacional realizado na Granja
Comary, deixando uma ótima impressão.
E da Gávea não vem ninguém? Claro que vem. Lázaro, atacante de dezoito anos, é considerado a
principal joia da base do Flamengo. Seu vínculo com o clube vai até 2025, tal é aposta da diretoria no
talento do jogador. É figurinha fácil nas seleções de base. Vem com tudo.
Outro flamenguista de dezoito anos e com vínculo até 2025, é o volante Daniel Cabral. Cabral vem sendo
lapidado com extremo cuidado. Velocidade, excelente passe e visão de jogo, fazem do jovem talento uma
das mais promissoras da Gávea.
A lateral-esquerda brasileira, ao que tudo indica, está bem servida. Com apenas dezessete anos de idade, o
são-paulino Patryck é considerado um talento raro. Foi campeão sub-17 pela seleção em 2019, e já
desperta interesse internacional. Vem sendo tratado com muito carinho pelo clube do Morumbi e sua
ascensão é certa.
Capitão da seleção sub-17, campeã mundial em 2019, o zagueiro Henri de dezoito anos, é uma das
apostas do Palmeiras. Mais que aposta, é um talento que vem sendo cuidado com muito esmero pelos
palestrinos. Bom porte físico, ótima marcação, sabe sair jogando com maestria. Atenção com o garoto.
Fabrício é daqueles atacantes que o gol parece procurar. Com apenas dezenove anos é considerado no
Palmeiras uma verdadeira preciosidade. Na temporada de 2018, marcou quarenta gols pelo sub-17
palmeirense, e só não foi alçado ao time de cima devido a uma séria contusão na época. Sua recuperação
é muito aguardada.

A lista é extensa e aqui ficaríamos dias elencando os talentos para o futuro do futebol brasileiro, mas para
encerrarmos, não poderíamos deixar de mencionar Matheus Nascimento, atacante de dezesseis anos, do
Botafogo do Rio. Trata-se do mais jovem jogador a envergar a camisa profissional do clube, e é um
genuíno camisa nove. Futuro certo.
Como vimos, talentos não faltam. Verdadeiras preciosidades, estes jovens não podem ser lançados como
salvadores em seus clubes, mesmo porque, muitos nem precisam de salvação, mas de qualificação e
continuidade.

 

 

 

Foto de Capa: Divulgação Internet

Jornal do Sudoeste

Os comentários são de responsabilidade de seus autores.

Deixe seu comentário

Categorias ,