Paixão desenfreada de Davi

O rei David depois do êxito das vitórias contra os inimigos, voltou a Jerusalém, sentiu estranha aflição, e a acusa foi a constatação do crime perpetrado pelo seu filho Amnom contra a irmã de nome Tamar.

 Tamar era a mais bela de todas as moças e mulheres de seu tempo. Amnom filho mais velho de David, apaixonou-se perdidamente pela irmã, não podendo por em prática o seu desejo, pois ela era cuidadosamente vigiada, ficou bastante deprimido e se tornou irreconhecível pelo seu estado.

O seu primo Jonadabe, vendo-o naquela situação, quis saber o problema. Amnom revelou o seu amor que sentia pela irmã, diante dessa confissão, Jonadabe, o aconselhou a fingir-se doente e ele o pôs em prática.  Se acamou, e quando o rei, o seu pai, foi visita-lo pediu que enviasse a irmã para os devidos cuidados. Ela veio e ele solicitou que fizesse alguns bolos, pois sendo feito por ela os comeria com mais prazer.

Ordenou a todos que saíssem e foi para o quarto dela dormir.  Em seguida levantou-se, estando ela sozinha, manifestou a sua paixão e quis dominá-la a força. Ela gritou e disse tudo o que podia para dissuadi-lo de cometer uma ação criminosa e tão vergonhosa para a família real.]

Vendo que as ações do irmão, não o demoviam, rogou-lhe que a pedisse em casamento ao rei, seu pai.  Mas Amnom estava fora de si, levado pelo furor da paixão e não a quis ouvir. Violou-a, por mais resistência que ela fizesse. Por incrível que pareça, após o ato consumado, houve uma mudança estranha de comportamento, passou da paixão ardente ao ódio violento, proferindo injúrias e expulsando-a da sua presença.

Ela esperou anoitecer, a fim de evitar a vergonha de aparecer aos olhos de todos, em pleno dia depois de ser ultrajada. Amnom não permitiu e ainda a castigou.  Com dor e de amargura, a princesa rasgou o seu véu que lhe descia até o chão, e que só as filhas dos reis podiam usar.

Atordoada, colocou cinzas na cabeça, e assim atravessou toda a cidade publicando com gritos, soluços e lágrimas a horrível violência sofrida.

Absalão, de quem era irmã por parte de mãe e de pai, encontrando-a naquele estado de desespero, tomou conhecimento do ocorrido. Fez o que pode para consolá-la, e ela ficou muito tempo com ele, sem se casar.

David ficou muito triste diante dessa ação detestável, mas como tinha afeto especial por Amnom, por ser o filho mais velho, não o castigou como merecia.

 Absalão dissimulou o ressentimento e conservou-o no coração até que pôde satisfazê-lo, por meio de uma vingança proporcional à ofensa.

Passaram-se dois anos da ocorrência. Mas, Absalão, devendo ir a Baaal-Hazor, na tribo de Efraim, para fazer tosquia de suas ovelhas, convidou seu pai e todos os seus irmãos para um banquete que desejava oferecer.

David desculpou-se, porque não queria que ele fizesse tão grandes despesas, e Absalão rogou-lhe então que pelo menos enviasse todos os irmãos. Ele concordou, e todos se apresentaram. Quando Amnom começou a ficar alegre por causa do excesso de vinho, Absalão o Matou.

Esse comentário da história da Bíblia entre a paixão de Amnom por Tamar, tem o sentido de avaliar o que está acontecendo atualmente, feminicídio, estrupo e outros crimes relacionado ao sexo. Esses acontecimentos, apesar das leis, têm revelado um acréscimo inominável de pessoas com problemas e ou comportamentos doentios como o ciúme e a inconformação da liberdade das mulheres, que pretendem a sua independência social, outro fator que pode contribuir para isso é a situação econômico-financeiro.

Como se vê, a situação é delicada, mas desde a antiguidade, esses fatos aconteciam. Só com a conscientização e a educação, esses problemas podem ser resolvidos, mas tudo isso faz parte da condição humana. Atos incompreensíveis e de inconformação, leva o indivíduo ao desatino imperdoável de cometer crimes em nome do amor. Quem ama não agride, é preciso viver em harmonia e solidariedade para se contemplar o amor e viver em paz.

Antônio Novais Torres

Antônio Novais Torres é comerciante aposentado, membro fundador da Academia de Letras e Artes de Brumado, membro do Conselho da Cidadania de Brumado, ex-membro do PMDB e PTB e membro do Conselho Editorial do Jornal do Sudoeste.
Categorias

Deixe seu comentário