77 3441-7081 — [email protected]

População brumadense faz manifestação em apoio à greve dos caminhoneiros

Por Fillipe Lima

 

Apesar do anúncio de medidas extraordinárias para atendimento à pauta de reivindicação dos caminhoneiros feita na noite do domingo pelo presidente Michel Temer (MDB), a paralisação dos caminhoneiros no entorno do trevo das Rodovias BA-262 (Brumado/Vitória da Conquista) e BR-030 (Brumado/Tanhaçu) completou na segunda-feira seu oitavo dia sem nenhum indicativo de que estaria para ser desmobilizado.

Contando com a solidariedade de empresários e populares, os caminhoneiros estacionados em Brumado, que incluíram na pauta de reivindicações a derrubada do Governo do presidente Michel Temer (MDB) e também dão indicativos de apoio a uma intervenção militar, foram literalmente abraçados pela população brumadense no final da tarde e início da noite da segunda-feira (28).

Convocados pela Câmara de Dirigentes Lojistas, empresários dos setores varejista e de serviços fecharam as portas às 15h e mobilizaram seus funcionários para participar de uma manifestação em favor dos caminhoneiros, juntando-se à que já vinha sendo programada, pelas redes sociais, por empresários e profissionais liberais da cidade.

Os empresários, trabalhadores, estudantes, profissionais liberais e donas de casa se concentraram no pátio da Igreja Matriz, de onde saíram em passeata e se juntaram a um outro grupo que estava reunido no entorno de um posto de combustíveis na saída da cidade e caminharam pela BA-262 até o local onde os caminhoneiros estão acampados.

A maioria vestido de verde e amarelo, com bandeirolas do Brasil e apitos, gritando palavras de ordem contra o Governo Michel Temer, os manifestantes, com apoio da 34ª Companhia Independente de Polícia Militar e da 2ª Companhia Independente da Policia Militar Rodoviária Estadual se juntaram aos caminhoneiros e participaram de um ato público, onde foram reafirmadas as bandeiras dos grevistas e renovadas as críticas à política de preços adotada pela Petrobrás e carga tributária.

“Essa paralisação dos caminhoneiros nos alertou que, na verdade, não apenas eles são prejudicados, nós todos somos porque é a gente que paga essa conta do combustível alto. O presidente Michel Temer falou que a população é quem vai pagar a conta dos caminhoneiros, mas nós já estamos pagando há muito tempo, mas devido à roubalheira dos nossos governantes, da corrupção”, disse um dos participantes da manifestação que pediu para não ser identificado. Segundo ele, a conta que será cobrada da sociedade em razão dos subsídios que foram anunciados pelo Governo ao óleo diesel, não representam quase nada diante da elevadíssima carga tributária cobrada pelo Governo sem que haja, na outra ponta, a prestação de serviços eficientes e de qualidade. “A greve dos caminhoneiros serviu para alertar a população, para mostrar que não podemos continuar de braços cruzados, reclamando nas esquinas. Precisamos nos unir e lutar pelos nossos direitos”, completou.

Outro participante da manifestação, profissional liberal que liderou a mobilização durante o último final de semana, que também preferiu não ser identificado, disse que o movimento de apoio aos caminhoneiros tem por objetivo consolidar o resgate da dignidade da população que foi despertado pela paralisação dos transportadores de cargas. Para ele, apesar dos transtornos e independente dos desdobramentos, o movimento tem sido importante para chamar a atenção de todos para a necessidade de reagir diante das injustiças impostas pelas políticas de reajuste de preços de insumos e da corrupção institucionalizada no país. “O nosso movimento tem como finalidade resgatar a dignidade do povo, que há muito tempo fora perdida e deixada para trás. A gente percebeu que essa greve é necessária, por isso nós decidimos lutar pelos nossos direitos, apoiando os caminhoneiros. É a única classe que está se preocupando com futuro, então nós temos que apoiá-los”, pontuou.

Um dos motoristas que está há oito dias estacionado em Brumado disse que apesar das medidas anunciadas pelo presidente Michel Temer (MDB) na noite do domingo, o grupo vai se manter firme até que um acordo seja de fato aceito por toda a classe. Para ele, o apoio da população à manifestação tem sido fundamental para que eles resistam às pressões do Governo. “Nós paramos aqui, indicados por Deus, pois desde que chegamos nós tivemos de tudo, não faltou banho, água, banheiro, comida, enfim, à noite a gente dorme sossegado”, destacou, ressaltando que em outras localidades, seus colegas de estrada também estão recebendo o suporte da população. “A cidade de Brumado está de parabéns. A população é de um coração imenso, somos muito gratos por todo o apoio que estamos recebendo. Se Deus quiser, nós vamos sair dessa, vitoriosos. Vamos conquistar a vitória para todos”, emocionou-se.

Para o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Brumado, Manoel Messias Pereira da Silva, avaliou positivamente a manifestação em favor dos caminhoneiros, lembrando que a atual política econômica tem sido responsável pela grave crise que todos os setores produtivos estão enfrentando e seus reflexos na vida dos trabalhadores. Para o presidente da CDL, a participação da população na manifestação serviu para mostrar que o povo está alerta e não demonstra intenção de continuar aceitando tudo de cabeça baixa.

De acordo com Manoel Messias, a CDL, enquanto entidade representativa do comércio varejista e de serviços, compreende que a alta tributação do óleo diesel que afeta diretamente os caminhoneiros impacta no comércio e em toda a população, que já são penalizados pela elevadíssima carga tributária incidente em todos os produtos e serviços. “Nós trabalhamos pelo desenvolvimento econômico e social de Brumado por meio de um comércio forte, respeitando todos os setores que atuam em conjunto para este trabalho, razão pela qual não poderíamos deixar de incentivar e mobilizar a sociedade para se solidarizar com os caminhoneiros e refletir sobre a necessidade de lutarmos para que o Governo reveja a perversa política tributária que afeta a todos, indistintamente”, ressaltou.

O ato de apoio aos caminhoneiros terminou com todos cantando o hino nacional e com a oração do Pai Nosso.

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Jornal do Sudoeste

Categorias ,