Projeto Conecta é premiado em concurso nacional

Por Ascom Uesb

 

Desenvolver ações com a proposta de contribuir na resolução de problemas sociais é o que propõe o projeto “Conecta”. Idealizado pelas professoras Tatiana Paiva e Iva Cota, do Centro Territorial de Educação Profissional de Vitória da Conquista (Cetep), o projeto conta com a parceria da Uesb. Por meio da transformação no processo educacional, o objetivo é propiciar interatividade, inspirações, ações, integração e valorização de ideias que resultam em melhorias para a comunidade.

Neste mês de junho, o “Conecta” foi premiado em um concurso nacional, promovido pelo Instituto MRV e a Fundação Pitágoras, sendo o único do Norte/Nordeste reconhecido nacionalmente. Na proposta, fazem parte iniciativas como o “Bengala Sensorial” e o “Cão-guia”, além de projetos de automação, de paisagismo e uma horta. De acordo com Paiva, os participantes “dão vida aos projetos, num espaço para que possam desenvolverem de forma permanente e, posteriormente,  apresentarem em eventos esporádicos, dentro e fora da escola”, comentou.

Além dessa premiação, outras ideias concebidas no “Conecta” já foram reconhecidas em outros momentos. No Desafio Aprendizagem Criativa Brasil 2019, promovido pela Rede Brasileira de Aprendizagem Criativa, Fundação Lemann e MIT Media Lab, o projeto foi finalista. Ainda em 2019, ele alcançou o 3º lugar na etapa estadual do Prêmio Sebrae de Educação Empreendedora 2019.

Parceria com a Universidade – Há nove anos, a Uesb desenvolve a parceria com o Cetep em propostas dessa natureza. Por meio do curso de Ciência da Computação, a Universidade participa do “Conecta”, auxiliando em ações que possam fortalecer a iniciativa. Nesse sentido, as atividades que são desenvolvidas no laboratório recebem um suporte técnico por meio dos professores e alunos do curso e abre espaços em eventos realizados na Instituição, como o UPStart Day e a Semana de Computação, para que esse alunos do projeto possam apresentar suas ideias.

De acordo com o professor Roque Mendes, do curso de Ciência da Computação, essas atividades são importantes para estimular a contribuição social desses alunos por meio de suas próprias ideias. “Colocar o discente como protagonista da sua própria educação é aprender fazendo. Isso gera transformação social, uma vez que o discente aprende a resolver problemas das mais diversas áreas”, pontua o professor.

A Universidade também auxilia na concretização do “Conecta” por meio do Laboratório de Pesquisa em Ensino de História da Universidade (Lapeh). A proposta é que, a partir de agora, os participantes do projeto possam criar “tecnologias para acompanhamento e triagem dos fatos históricos a partir de locais específicos que representem marcos na cidade de Vitória da Conquista”, comenta a professora Maria Cristina Pina, coordenadora do Lapeh.

De acordo com Pina, além dessa ação, fará parte da parceria a confecção de materiais didáticos para o ensino de História que envolve um diálogo interdisciplinar desafiado a partir de temas históricos e oficinas de aprendizagem criativa.

Jornal do Sudoeste

Categorias