Psicologia humanista: Entenda mais sobre essa abordagem da psicoterapia

A psicologia existencial traz uma busca pela compreensão e equilíbrio das emoções, conheça mais sobre essa importante abordagem

Por: MF Press Global Gestão geral 

A psicologia humanista é uma das principais abordagens da psicoterapia, ela é focada em auxiliar o paciente através da identificação de si mesmo, do desenvolvimento próprio, pondo o indivíduo no centro da terapia.

No entanto, apesar da sua importância e presença constante, a psicologia existencial ainda gera uma série de dúvidas, em especial em relação à psicologia humanista e fenomenológica.

O que é psicologia humanista?

A psicologia humanista é uma das três mais importantes abordagens da psicologia, sendo uma resposta à psicanálise e ao behaviorismo, pois entende que o indivíduo não é consequente de eventos ambientais, considerado que o homem pode tomar suas decisões independente das circunstâncias.

De acordo com o artigo “Psicologia existencial, humanista e fenomenológica”, produzido pelo Pós PhD em neurociências e mestre em psicologia, Dr. Fabiano de Abreu Agrela, e publicado pela Revista Saberes.

“Ela entende que o homem é capaz de buscar por si mesmo o desenvolvimento das suas potencialidades, encontrar o seu papel no mundo e se integrar nele, ter um papel ativo nas relações interpessoais, melhorar a sua criatividade, motivação, regulando as suas emoções e o seu comportamento assim como a percepção da realidade”.

“Essa autorregulação viria não do controle sobre si, mas da compreensão filosófica sobre o fenômeno da vida e suas alternâncias. Não ter o compromisso com a perfeição, dar a si e ao outro o benefício da dúvida e assumir o erro como possibilidade de aprendizagem”. Ressalta o artigo.

Existencialismo e fenomenologia

A psicologia humanista é desenvolvida com base em duas abordagens importantes, o existencialismo e a fenomenologia e compreendê-las é fundamental para ter uma visão mais completa da psicologia humanista.

“[O existencialismo] se  trata da  perceção  do  próprio  ser,  a intuição,  metacognição,  com  as  perdas  da  vida,  o  tempo  e  a  morte. Compreender realisticamente a condição humana onde há duas características universais a imperfeição e a finitude”.

“[A fenomenologia] propõe  estudos  da  própria  consciência  e  dos  fenômenos  da  mente. Portanto, ela põe em perspectiva a personalidade do indivíduo, os seus valores morais e seus próprios compromissos com os outros e com o mundo para a construção de uma vida ideal de acordo com seus interesse” Afirma o artigo.

As principais abordagens terapêuticas da psicologia humanista

A psicologia humanista pode ser utilizada através de algumas abordagens importantes, sendo as principais a Gestalt-terapia, a Abordagem Centrada na Pessoa, Logoterapia e Psicodrama, o artigo “Psicologia existencial, humanista e fenomenológica” também explica um pouco sobre cada uma delas.

Gestalt-terapia

“Para a Gestalt, os fenômenos do organismo não devem ser observados de maneira isolada, mas sim, como uma configuração completa. A terapia é voltada para o indivíduo de maneira integral e não apenas observando os sintomas […] a forma  como  os  fenômenos  são  percebidos  pelo  indivíduo influencia o seu olhar sobre o mundo e sobre si mesmo”.

Abordagem Centrada na Pessoa

“Tal abordagem  tem  como  foco  a  saúde  mental,  o  bem – estar,  a autoestima e a busca pela totalidade […] Deve estar atento aos sinais verbais e não – verbais das pessoas   e   de   si   mesmo,   entendendo   de   maneira   madura   os seus   significados   e respondendo  a  esses  sinais  de  maneira  empática  e  madura”.

Logoterapia

“Entendia  que  o  conflito existencial  do  homem  não  estava  preso à existência em  si,  mas  em  dar  sentido  a  essa existência. […] a vida tem sentido em todas as circunstâncias independente do grau de sofrimento, as pessoas agem procurando um sentido para as suas ações e que as pessoas possuem livre arbítrio e podem escolher como agir em face do sofrimento em acordo com as limitações apresentadas”.

Psicodrama

“Tem como objetivo a representação dramática  de  um  conflito  interno dos  participantes […] As técnicas utilizadas durante a dramatização vão desde a inversão de papéis, o espelhamento, o feedback dos papéis quando uns agem em resposta ao agir do outro até a interação e utilização de objetos”.

Por que essa abordagem deve ser utilizada?

A abordagem humanista da psicoterapia é muito importante pelo seu foco no indivíduo, nas suas escolhas, na sua personalidade e na sua independência de fatores externos.

Ela permite uma autoresponsabilidade e redução das expectativas em relação a outros, além de evitar comparações, individualizando os ciclos.

“Essa é a grande característica e diferencial, duas almas humanas em sua essência mais  verdadeira  a  imperfeição  e  a  finitude,  onde  podem  se  compreender  e apoiar mutuamente.  Responsabilização sobre as escolhas, rasgando a fantasia do autoengano e máscaras sociais, usar a relação como troca, sem a perspectiva a soberba ou humilhação e sim,  a  generosidade  e  humildade  diante  do  dar  e  receber.  Trazendo  para  o  erro  a perspectiva da possibilidade de aprendizagem e acerto”. Afirma o artigo.

A Revista Saberes, responsável pela publicação do artigo “Psicologia existencial, humanista e fenomenológica” abriu novas chamadas para recebimento de dossiês, artigos, ensaios ou relatos de experiência para submissão e aceite em até 45 dias após o envio, as chamadas estão abertas para os temas: surdidade em foco, filosofias africanas, filosofia de linguagem e filosofias: gênero e diversidade. As inscrições são realizadas no site da revista.

Foto de Capa: Divulgação

Jornal do Sudoeste

Os comentários são de responsabilidade de seus autores.

Deixe seu comentário

Categorias ,