PT de Itapetinga entra nos trilhos novamente

O Partido dos Trabalhadores – PT foi fundado em 1980 tendo genericamente, como precursores, sindicalistas, intelectuais de esquerda e católicos ligados à Teologia da Libertação, e tinha como ideologia oficial uma visão socialista democrática tentando superar modelos socialistas já em decadência como o chinês e o soviético. Após quatro processos eleitorais consecutivos (1989, 1994, 1998 e 2002), o ex-operário Luiz Inácio Lula da Silva finalmente leva o PT ao poder. No entanto, o seu discurso teve que se adequar, sem, contudo, abandonar a essência do PT, que é defender o trabalhador.
 
A ascensão do Partido dos Trabalhadores (PT) ao poder no Brasil, foi um processo longo que se estendeu ao longo de três décadas. Esse processo foi resultado de muita luta e acima de tudo perseverança. O presidente Lula sempre assumiu na origem do PT uma postura de esquerda que pretendia gerar mudanças para os trabalhadores, especificamente os trabalhadores do ABC Paulista. No entanto, a trajetória do PT ao poder não se caracterizou como um percurso de se concretizar na posição de governo a mesma ideologia propagada na luta para se chegar ao poder, ajustes foram feitos, novas alianças e o discurso petista sofreu resignificações.  O nosso companheiro Lula teve que fazer adequações. Outra luta se configurava, estar no poder e conseguir manter intacta a ideologia tão amplamente disseminada sem contrariar os aliados. Mesmo diante desse obstáculo, o nosso companheiro conseguiu mudar a história do nosso país, fazendo concessões sem abrir mão de princípios e valores petistas. Revolucionou o social e mudou a cara do país.

Processo semelhante ocorreu no país inteiro, inclusive na nossa Bahia, onde se efetivou o desmonte de um formato de se fazer política que já perdurava há 16 longos anos. Em Itapetinga, o PT também ansiava por implantar essas mesmas mudanças no município e realizar o desmonte da alternância entre dois grupos políticos que se revezavam no poder. Em 2008 foi o grande momento de se concretizar a “vitória da mudança”. O PT lança como candidato um filiado que passara a compor as fileiras do partido muito recentemente. Houve resistência por parte de alguns militantes e também parcela da população, por entender que o  novo filiado não representava a essência do Partidos dos Trabalhadores, mas que acabaria trazendo para o partido a identificação de PTguaio, uma alusão ao Paraguai, país conhecido por seus produtos falsificados. Mesmo diante deste quadro o novo “petista” foi recebido no partido pelo fato desta decisão representar o desejo da maioria de sua militância.

Logo no início do governo se instalou um distanciamento entre o gestor municipal e os companheiros. Distanciamento este expresso através das atitudes do neopetista que raramente incluía o seu partido no cerne das decisões políticas e administrativas, raramente participava das reuniões do partido, além de se omitir diante da hostilidade recebida pelo partido por aqueles que se aproximavam simplesmente com o objetivo de obter favores do prefeito, além de terceirizar a gestão municipal a outras pessoas e se apresentar como um gestor omisso. Ações democráticas do PT, como o orçamento participativo, não foram efetivadas.

O Partido dos Trabalhadores de Itapetinga teve, nos últimos dias, uma atitude surpreendente objetivando resolver este impasse. A atitude é surpreendente para alguns, porque para quem participou de todo este processo, uma atitude previsível e esperada: O diretório municipal em sucessivas reuniões no município com presidente municipal, presidente estadual, deputados e filiados decidem que se faz necessário avaliar a atual gestão. Decidem que é um momento para pensar se a decisão tomada em 2008 foi realmente a mais acertada. Ventilam a possibilidade de outro nome para representar o PT nas eleições de 2012, através de consulta à população e concluem que a continuidade do atual gestor não é a única alternativa. Todos esses acontecimentos  sacudiram a cidade. Mas o Partido dos Trabalhadores é assim. Surpreende sempre! O que ficará disso tudo é que o Partido dos Trabalhadores de Itapetinga segue princípios, valores, ética, ideais, respeito à população e não simplesmente o poder pelo poder. Petista de verdade se reconhece pelas atitudes e não pelo tempo de filiação. Quem é histórico no partido, mas estar indo de encontro a esses princípios, não é petista.

Caso tudo fique como estar o PT terá dividido a responsabilidade com a população, não terá se omitido diante dos fatos comprometedores relacionados à Administração Pública, pois ao partido coube o dever de corrigir os erros que por ventura tenha cometido, considerando a ética e o valor individual de cada cidadão como o brilho da estrela PeTista.
 
É isso…
Até a próxima…

Júlio César Cardoso

Júlio César Cardoso

Bacharel em Direito e servidor federal aposentado. Balneário Camboriú-Santa Catarina.
Categorias