Quem está gripado deve esperar o fim dos sintomas para se vacinar contra a Gripe. A recomendação é do Ministério da Saúde

Por Agência do Rádio Mais

 

Uma dúvida frequente durante a Campanha Nacional de Vacinação contra a gripe é se a pessoa com sintoma da gripe pode se vacinar. Afinal, o cidadão deve ir a um posto de saúde ou esperar que o quadro de saúde melhore?

Segundo Francieli Fontana, coordenadora-geral do Programa Nacional de Imunização do Ministério da Saúde, a melhor alternativa para quem está com sintomas de gripe é esperar que essa fase passe antes de procurar pela vacina. Ela explica que esse adiamento evita confusão entre alguma reação adversa e os próprios sintomas da doença.

Por exemplo, se alguém que está no período de incubação da gripe — ou seja, está infectado, mas ainda não apresentou sintoma —, ou só apresenta tosse e coriza, recebe a vacina e depois tem febre, fica difícil para o médico avaliar se é um agravamento da doença ou reação à injeção. Portanto, a melhor opção é ficar em casa até o fim dos sintomas. Francieli Fontana fala.

 “Para a pessoa que está gripada, a orientação do Programa Nacional de Imunização é que espere passar o quadro de síndrome gripal. Para que não haja confusão entre a vacinação e algum evento adverso, a gente solicita que as pessoas gripadas adiem a vacinação até a melhora do quadro.”

A vacina protege contra os três tipos de vírus Influenza que mais circulam no nosso país. A composição é alterada todos os anos, seguindo o que preconiza a Organização Mundial da Saúde (OMS). O objetivo é que ela seja eficaz e acompanhe a evolução dos vírus, que passam por mudanças em suas estruturas muito rapidamente.

É importante tomar a vacina todo ano, pois a vacina do ano anterior não dá proteção adequada. Se você não tem sintoma de gripe e faz parte do grupo prioritário, procure um posto de atendimento para se vacinar, destaca Francieli Fontana.

“As pessoas que fazem parte do grupo-alvo de vacinação, como é uma vacina importante, se não se vacinarem podem adoecer ou desenvolver complicações, entre elas pneumonias ou até morte. É muito importante que as pessoas se vacinem.”

Até 15 de abril, a Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe priorizou idosos com 60 anos ou mais e trabalhadores da saúde. No dia 16 de abril, começaram a ser vacinados membros das forças de segurança e salvamento, doentes crônicos, caminhoneiros, motoristas e cobradores de transporte coletivo, portuários e população indígena.

De 9 a 22 de maio, terceira e última etapa da campanha será a vez dos professores, crianças de 6 meses a menores de 6 anos, grávidas, mães no pós-parto, pessoas com 55 anos ou mais e pessoas com deficiência.

Segundo o Ministério da Saúde, a vacina é trivalente e protege contra os três tipos de vírus Influenza que mais circularam no hemisfério sul em 2019: Influenza A (H1N1), Influenza B e Influenza A (H3N2). A pasta pede que em caso de fila, mantenha distância de dois metros dos demais, principalmente idosos.

E, para mais informações sobre a Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe, acesse: saude.gov.br/vacinabrasil.

 

Foto de Capa: Divulgação.

Jornal do Sudoeste

Categorias ,