Réveillon: Nutricionista dá dicas de como montar um cardápio mais saudável para a festividade

Pratos tradicionais das ceias de final de ano, como salpicão e farofa, podem se tornar mais funcionais com algumas modificações nas receitas

Por: Comunicativa

A época mais festiva do ano chegou. Confraternizações entre familiares e amigos celebram mais um ano vivido e renovam a esperança para os próximos 365 dias. E claro, como parte da cultura brasileira, surge a preocupação em montar um cardápio saboroso para esses momentos.

Contudo, ao contrário do que muita gente acredita, um cardápio saboroso também pode ser saudável e equilibrado. Quem garante é Gabriela dos Santos Vilasboas, nutricionista e professora do curso de Nutrição do Centro Universitário UniFG, instituição de ensino pertencente à Ânima Educação. Ela afirma que, com criatividade, é possível curtir as festividades, não passar vontade e ainda cuidar da saúde.

“As pessoas podem optar por preparações como snacks de grão de bico e especiarias, legumes em palitos crocantes, patê de cenoura ou abacate, uma salada colorida e refrescante com manga, pepino, salsinha, tomate e hortaliças, como alternativas de entradas”, indica Gabriela Vilasboas.

A nutricionista também ensina como tornar mais funcionais os preparos de alguns pratos tradicionais das ceias de final de ano, como o salpicão e a farofa. “Troque o creme de leite ou maionese por creme de inhame, iogurte natural, patê de ricota, por exemplo. Use sua criatividade e utilize as várias opções de sementes e suas respectivas farinhas para preparar sua farofa. Você pode usar sementes de abóbora, linhaça, girassol, gergelim. Se a farinha de mandioca lhe fizer falta, que tal utilizá-la junto às outras farinhas na proporção de 50% – 50%?”, sugere.

A especialista alerta, ainda, para os cuidados necessários na hora de escolher as aves que serão servidas durante as festas. Segundo ela, embora as carnes de aves sejam as mais consumidas neste período e sejam mais leves, muitos não se preocupam com a qualidade na hora da compra.

“As promoções são grandes atrativos, mas é preciso ficar atento a validade, temperatura, embalagem. Observe se as embalagens não estão violadas, pois podem ser meios de transmissão de microrganismos. Uma carne descongelada agiliza o nosso processo na cozinha, mas pode indicar descuido no armazenamento e grandes chances de contaminação”, avisa Vilasboas.

Para muitas pessoas, as bebidas alcoólicas não podem ficar de fora das comemorações, mas a nutricionista dá dicas para reduzir o consumo e garantir um final de ano mais equilibrado. “Você pode substituir o álcool pelas versões não alcoólicas das bebidas, como cerveja, vinho e espumante sem álcool, ou optar pelo suco integral de frutas, água saborizada e gaseificada, drinks refrescantes e sem álcool, Sobolo (bebida refrescante feita com hibisco, abacaxi e gengibre), por exemplo”, aconselha.

A professora da UniFG, afirma, por fim, que o mais importante, independentemente de qual comida ou bebida está servida à mesa, é que cada pessoa busque conhecer o seu corpo e se atente aos sinais que ele dá sobre a fome e saciedade.

“Quanto mais atento você estiver, menor é a chance de cometer exageros e se arrepender depois, o que não é nada legal. Aproveite o clima para celebrar as amizades, conquistas, a família, mas também para agradecer a possibilidade de poder escolher o seu cardápio num país onde mais de 33 milhões de pessoas não sabem se terão o mínimo para comer a semana toda”, finaliza a especialista.

 

 

Foto de capa: Divulgação

Jornal do Sudoeste

Os comentários são de responsabilidade de seus autores.

Deixe seu comentário

Categorias ,