RHI Magnesita alavanca empreendedorismo feminino com projetos sociais em Brumado

Em 2020, a empresa levou novas oportunidades de renda para cerca de 150 mulheres residentes na região

 

Por Ascom/ RHI Magnesita

 

As mulheres são uma peça fundamental na engrenagem da nossa sociedade e elas vêm fazendo a diferença também na economia circular local nas pequenas comunidades. Por meio de diferentes projetos sociais realizados pela RHI Magnesita em Brumado, a empresa vem ajudando a alavancar o empreendedorismo feminino e contribuindo para que as mulheres levem uma renda complementar para seus núcleos familiares. Somente no ano passado, de forma direta, a empresa apoiou aproximadamente 150 mulheres residentes na área rural ou em situação de vulnerabilidade social.

Uma delas foi Beatriz Alves de Almeida, de 39 anos, que já participou de diversos projetos apoiados pela RHI Magnesita na comunidade de Pedra Preta, em Brumado. Atualmente, uma das fontes de renda dela vem da horta comunitária criada pela empresa há cerca de dois anos, onde ela atua hoje como monitora, participa ativamente da gestão e vendas dos produtos gerados no espaço. “Essa horta foi uma grande mudança na minha vida. Além de ser uma fonte de renda importante hoje para a minha família, é por meio dela que temos uma alimentação farta, orgânica. Minha casa está sempre com a geladeira cheia, consigo dar aos meus filhos o básico e sinto que eles não só reconhecem esse meu esforço, mas se inspiram nas minhas atitudes”, conta Beatriz.

Sua filha mais velha Helena, de 19 anos, participou recentemente de dois projetos realizados pela RHI Magnesita, o Pra Frente, voltado para o desenvolvimento de nanoempreendedores, e o projeto Crescer, que junto com o Senai oferece capacitação técnica em Brumado. Já o filho Natan Gabriel, de 17 anos, trabalha junto com a mãe na horta comunitária. Para Beatriz, graças aos projetos da empresa eles não sentiram tanto impacto financeiro em função da pandemia. “Todos os projetos e oportunidades que a RHI Magnesita oferece eu participo. Fiquei muito tempo parada e penso que, se tivesse tido esse tipo de oportunidade antes, a minha vida poderia ter sido diferente, então eu tento aproveitar ao máximo. Já participei do projeto FRED, quando aprendemos a fazer tramas sem nó, no ano passado produzi máscaras para o Costurando Amor e com a renda do projeto consegui comprar uma moto para facilitar o nosso deslocamento até a cidade, e agora, além da horta, onde me dedico diariamente, também estou participando do Crescer, buscando novos conhecimentos por meio da capacitação técnica. Me sinto muito grata!” complementa.

Somente em 2020, por meio dos projetos Vínculo Sustentáveis, Costurando Amor, Horta Comunitária e Pra Frente, a RHI Magnesita alcançou diretamente cerca de 150 mulheres da região, e outras cerca de 600 indiretamente, levando geração de renda, apoio social por meio de doação de cestas e oportunidades de capacitação. De acordo com Lucilla Soledade, especialista em Comunicação e Relacionamento com as Comunidades da RHI Magnesita, as mulheres são maioria entre as participantes dos projetos que envolvem geração de renda. “É uma forma de alcançarem a independência financeira, aprenderem algo novo e vivenciarem experiências diferentes. Vemos que essas mulheres agarram as oportunidades com muita vontade. Elas querem fazer a diferença, nem que seja no seu núcleo familiar, e se sentem bem com isso. Nos alegramos em poder ser um meio para que elas acreditem que podem ir além”, ressalta Lucilla.

 

Foto de Capa: Beatriz Horta.

Jornal do Sudoeste

Categorias ,