SENAI vai oferecer 100 mil vagas gratuitas em cursos à distância durante pandemia do coronavírus

Para acessar os cursos voltados à indústria 4.0, com mais de 20 horas de duração, basta acessar a plataforma Mundo SENAI na internet e se cadastrar

 

Por

 

Com o avanço da pandemia do novo coronavírus no Brasil, a população foi orientada pelo poder público a evitar sair de casa sem necessidade. Para que o isolamento social seja uma oportunidade de se capitar educacional e profissionalmente, o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) tem ofertados vagas gratuitas em cursos a distância voltados à indústria 4.0. Divididos em módulos, eles incluem temas ligados à tecnologia, como Blockchain, Lean Manufacturing e BIM (Building Information Modeling).

Arte: Agência do Rádio Mais.

O objetivo, segundo o diretor de Educação e Tecnologia da CNI, Rafael Lucchesi, é que as pessoas de todas as idades aproveitem essa janela para enriquecer o currículo e tenham mais segurança de permanecer nos empregos após a crise. “Estamos investindo na competência de formação da indústria 4.0, que tende a ser um elemento portador de futuro na carreira dos trabalhadores brasileiros”, afirma.

“O SENAI tem uma plataforma de educação à distância, com repositório de material e tudo isso com realidade aumentada. Além disso, há a disponibilização de kits simuladores à distância que propiciam esse aprendizado por meio da plataforma digital”, complementa Lucchesi.

A ideia é que, até junho, sejam oferecidas mais de 100 mil vagas. Para ter acesso aos cursos, que têm mais de 20 horas de duração, é só acessar a plataforma Mundo SENAI, onde será necessário fazer um cadastro simples. A partir daí, é só começar a acompanhar as aulas e se requalificar.

 

Material gratuito 

Além dos cursos à distância, o SENAI disponibilizou livre acesso a grande parte de seu material. Na Estante Virtual de Livros Didáticos, os interessados poderão ter acesso a livros referentes a cursos de 32 áreas tecnológicas, 32 cursos técnicos e 83 qualificações básicas. São mais de 1.150 volumes disponíveis, que também podem ser acessados pelo aplicativo Livros SENAI, disponíveis no Google Play e App Store.

O professor do Ibmec Brasília Gino Terentim Junior avalia que as medidas adotadas pelo SENAI são importantes em meio a um cenário de incertezas no mercado de trabalho.

“Eu vejo isso como algo fundamental. A gente precisar repensar o modelo de negócio da educação. Quando a gente foi obrigado a se confinar por causa do coronavírus, a educação saiu dos prédios. Os prédios detinham a educação, e eu precisava sair da minha casa. À medida que eu tive que ficar em casa, isso forçou esse modelo a se adaptar”, opina.

Arte: Agência do Rádio Mais.

Outra medida de apoio à área é o lançamento de um edital de inovação, também pelo SENAI, para atender a demanda de respiradores, álcool em gel, máscaras e manutenção de equipamentos necessários no combate à Covid-19.  O investimento disponível para empresas e startups chega a R$ 20 milhões, se somadas as duas chamadas da licitação, e cada projeto poderá captar até R$ 2 milhões. Os resultados devem ser apresentados em até 40 dias.

“A nossa atuação será no suprimento desses problemas, como os testes rápidos para a detecção da doença. No isolamento, ter uma gama ampla desses testes vai ser de grande importância, bem como a fabricação de ventiladores (respiradores)”, completa o diretor de Educação e Tecnologia da CNI, Rafael Lucchesi.

As inscrições podem ser feitas no site do Edital de Inovação. As proposições podem ser realizadas por meio do Whatsapp, no número (61) 99628-7337 ou pelo e-mail [email protected]

“Indústria contra o coronavírus”

Para amenizar os efeitos da Covid-19 e proteger quem produz e quem consome, além do SENAI, a Confederação Nacional da Indústria (CNI), o Serviço Social da Indústria (SESI), o Instituto Euvaldo Lodi (IEL) e as Federações das Indústrias dos 26 estados e do DF têm levado informação e tomado medidas para reduzir os impactos econômicos e preservar vidas por meio da campanha nacional “A indústria contra o coronavírus”. Mais informações podem ser acessadas nas redes sociais das entidades.

 

Foto de Capa: Arquivo/EBC.

Jornal do Sudoeste

Categorias ,