Ser reconhecida na ciência é mais difícil para uma mulher? Pesquisadora fala sobre

Por: Fabiano de Abreu

 

A cientista brasileira Angela Oliveira, que é referência na pesquisa em tecnologia em como lidar com o lixo, vem trilhando um caminho de sucesso ao longo dos anos e hoje considera que ser mulher, em meio a uma comunidade composta majoritariamente por homens, pode ser uma vantagem, mas isso nem sempre foi assim.

“No começo era mais difícil. Depois que eu comecei a mostrar o que a gente estava fazendo, as minhas descobertas, o resultado de muita pesquisa, esforço e dedicação e hoje acho que é uma grande vantagem ser mulher no meio disso tudo”, disse.

Angela é uma referência na pesquisa em tecnologia em como lidar com o lixo. Ela palestrou durante o maior evento de tecnologia do país, a quarta Campus Party, em Brasília, com uma palestra sobre “Termoquímica Catalítica”.

Trata-se de um tratamento térmico com materiais inservíveis, e que geram produtos para uso humano, como óleo e carvão. Na oportunidade, Angela falou um pouco sobre sua carreira, suas descobertas e seus próximos trabalhos a serem desenvolvidos.

 

Foto da capa: Divulgação 

Jornal do Sudoeste

Os comentários são de responsabilidade de seus autores.

Deixe seu comentário

Categorias ,