SESI lança desafio de combate à covid-19 para alunos de todo o Brasil

Competição de robótica abre inscrições no dia 15 de junho e vai selecionar projetos que apresentem soluções para a crise causada pela pandemia

 

Por Jalila Arabi/ Agência Brasil 61

 

Soluções simples, inteligentes e inovadoras para o combate à covid-19 podem estar nas mãos de estudantes das redes pública e privada de ensino. Por isso, Serviço Social da Indústria (SESI) lançou o Desafio SESI de Robótica Covid-19, que vai selecionar projetos em todo Brasil com propostas para a atual situação no planeta. A ideia é descobrir o que os jovens brasileiros podem fazer para ajudar nesse momento de crise.

As inscrições para o Desafio começam na segunda-feira (15) e vão até o dia 30 de junho, no site do torneio. Podem participar alunos brasileiros das redes pública, privada e SESI de qualquer lugar do país, de preferência os que já estejam inseridos em competições de robótica.

“A intenção é superar as adversidades que estamos vivendo nesse contexto de pandemia. Vamos selecionar projetos de prevenção, diagnóstico e combate à covid-19, estimular a cultura de inovação e impulsionar soluções que privilegiem a utilização da robótica para solução de problemas”, detalha a gerente de Educação Tecnológica do Departamento Nacional do SESI, Kátia Marangon.

“A gente sabe do dinamismo dos estudantes de robótica e de como eles conseguem aproximar a teoria da prática, e a prática é justamente essa aplicabilidade, ver como eles podem propor soluções para enfrentar esse momento”, justifica.

Arte: Érica Passos.

Para participar, os jovens devem montar equipes compostas por quatro a dez estudantes, com idades entre nove e 18 anos, além de um técnico, que deve ser maior de idade e ficará responsável pela inscrição da equipe.

Por conta da pandemia, o desafio será totalmente virtual. A divulgação das equipes inscritas será feita no dia 2 de julho e a data limite para entrega do projeto é no fim do mês que vem (primeira fase do torneio). O projeto com a alternativa para frear os avanços da doença deve conter itens como pesquisa com as fontes usadas para embasar o projeto, criatividade e inovação, empreendedorismo e impacto social da medida a ser adotada. O grupo deve enviar também um vídeo de até dois minutos com a defesa da proposta.

“O desafio virtual é para aproveitar também esse momento de isolamento para produzir soluções que contribuam com toda a sociedade”, ressalta Kátia Marangon.

A segunda etapa começa no dia 19 de agosto, após a seleção das melhores iniciativas. Nessa etapa, as equipes deverão detalhar a solução da proposta, com base nos critérios da primeira fase. Aqui, os alunos também deverão mandar um vídeo de até dois minutos defendendo o projeto.

A avaliação das propostas será feita em setembro e a premiação ocorrerá no dia 25 do mesmo mês. Ao todo, serão premiadas sete equipes – além dos três primeiros colocados na classificação geral, o torneio terá premiação exclusiva para as categorias “Melhor Projeto de Pesquisa”, “Melhor Projeto em Criatividade e Inovação”, “Melhor Proposta de Empreendedorismo” e de “Impacto Social”. Cada equipe selecionada só poderá ser premiada em uma categoria.

Todas as equipes vencedoras levarão para casa medalhas individuais por competidor e um troféu por equipe, da respectiva categoria conquistada. Os três primeiros colocados na classificação geral ainda poderão expor seus projetos em um stand exclusivo, durante o próximo Festival SESI de Robótica, previsto para ocorrer em março de 2021.

Foto de Capa: Divulgação.

Jornal do Sudoeste

Categorias ,