77 3441-7081 — [email protected]

Simmp, Sinserv e Sindacs ocupam ruas de Vitória da Conquista e cobram da Prefeitura valorização profissional

Por Ascom SIMMP

Seguindo as deliberações da última assembleia, os profissionais da educação paralisaram suas atividades durante os três turnos nessa quarta-feira, 11, reivindicando da Prefeitura de Vitória da Conquista respeito e valorização.

Durante a manhã, a categoria ocupou a sessão extraordinária da Câmara de Vereadores. A presidente do Simmp [Sindicato do Magistério Municipal Público de Vitória da Conquista], Ana Cristina Novais, falou sobre a Campanha Salarial 2018, afirmando que a proposta apresentada pelo Governo não contempla o profissional da Educação Municipal, achata a tabela e destrói o Plano de Carreira, que possui apenas dois níveis. Mesmo este defasado Plano de Carreira, agora corre risco de precarizar-se ainda mais a partir da proposta encaminhada pela administração municipal. Diversas outras demandas financeiras e pedagógicas também foram expostas.

Após sessão da Câmara, a categoria realizou ato público na Praça da Prefeitura junto aos filiados dos sindicatos Sinserv [Sindicato dos Servidores Municipais de Vitória da Conquista] e Sindacs [Sindicato dos Agentes Comunitários de Saúde e de Combate às Endemias]. Os profissionais do município seguiram pelas ruas do centro da cidade, finalizando a caminhada no Terminal Lauro de Freitas.

No sábado (14), a agenda segue com mobilização dos profissionais da Educação durante a inauguração da Avenida J. Pedral (Perimetral). A concentração acontecerá em frente ao Cemae às 8:30 horas.

Quarta-feira (18/07), acontecerá assembleia da categoria, onde a pauta da greve será decidida, uma vez que o indicativo foi aprovado desde maio. A proximidade entre os três sindicatos abre caminho para a possibilidade de nova greve geral.

Descumprimento da Lei do Piso

Pare este ano MEC a porcentagem de 6,81% de aumento específico do Piso Nacional do Magistério. Embora essa verba componha o repasse anual do Fundeb – Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação -, diz respeito a rubrica específica, e não pode, portanto, ser usada em outras diretrizes orçamentárias.

 No entanto, a Prefeitura de Vitória da Conquista se apropria indevidamente de 4,03% deste repasse federal ao oferecer a proposta ofensiva de 2,76%. O que na prática não só descumpre a Lei do Piso, mas também destrói o Plano de Carreira da educação. O Simmp luta por avanços e valorização profissional e não pode aceitar esta agenda de retrocessos radicais.

Fotos: Ascom SIMMP

Jornal do Sudoeste

Categorias