Uesb: 40 anos desbravando os caminhos da educação e antecipando o futuro

Por Valcelene Amorim/ Ascom Uesb

 

A Uesb busca capacitar profissionais qualificados em todas as áreas do conhecimento, com a oferta de 47 cursos de graduação. O pioneirismo sempre esteve presente no decorrer da sua história, com a implantação de cursos precursores no interior baiano, tanto de graduação, como de pós-graduação.

Um exemplo desses grandes passos data ainda da década de 1990. Foi em 1997 que a tradição esportiva do município de Jequié proporcionou o ambiente favorável para a implantação do curso de Licenciatura em Educação Física. Juntamente com a Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs), a Uesb passava então a se responsabilizar pelo início da interiorização da formação de educadores físicos em instituições públicas de ensino na Bahia.

Juraci Reis em estágio durante a Graduação.

Primeira turma de formandos em Educação Física.

“Significou crescimento, com a responsabilidade de quem, de certa forma, colabora com o início de mais uma história de desbravamentos”, define o professor Juraci Reis Filho. Atual vice-coordenador do colegiado de Educação Física da Uesb, ele integrou a primeira turma do curso, que prossegue com sua história de desbravamento.

Em 2020, Jequié passou a contar com o primeiro Programa de Pós-Graduação em Educação Física do interior da Bahia. Associado à Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), a iniciativa permitirá a formação continuada de muitos profissionais da área.

A oportunidade valiosa de prosseguir com os estudos também é uma realidade no campus de Itapetinga, onde a visão de futuro da Uesb resultou no pioneiro Programa de Pós-Graduação em Zootecnia (PPZ). Em 2003, a primeira turma de Mestrado foi só o começo de uma história marcada pela implantação do primeiro curso de Doutorado da Uesb, em 2008, e pelo reconhecimento como excelência nacional: o Programa obteve o conceito 5 na última avaliação quadrienal da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

Com 16 anos de atuação, o PPZ já formou 119 mestres e 138 doutores. Dessa maneira, o Programa tem produzido valor nacionalmente com o preparo de capital humano, intelectual e científico, uma vez que muitos profissionais egressos atuam na iniciativa pública, privada e em vários nichos do agronegócio brasileiro.

Para Paulo Valter Nascimento, que fez parte da primeira turma de doutorandos do PPZ e atualmente é professor no campus de Itapetinga, ter cursado a pós-graduação em sua cidade fez diferença pela proximidade com a família, a possibilidade de compartilhar conhecimento com colegas da graduação e pela viabilidade econômica. Além disso, a qualidade do Programa sempre se destacou. “Tive acesso aos melhores professores e trabalhos da área, o que trouxe para minha vida profissional uma abertura enorme de conhecimento e oportunidades”, avalia.

Multiplicar caminhos

Em uma região com cultura potente, a Uesb vislumbrou a proposta de multiplicar caminhos artísticos mesmo longe dos grandes centros. Assim, o curso de Cinema e Audiovisual foi pioneiro nas regiões fora do Recôncavo Baiano, o que contribuiu para a descentralização da produção e consumo do audiovisual no Estado e atraiu olhares para a cultura local.

Aula prática do curso de Cinema e Audiovisual.

Desde a sua implantação, em 2010, o curso de Cinema e Audiovisual possui uma expressiva produção, com premiações em importantes festivais no país. Além disso, tem papel fundamental no aprimoramento e reflexão de profissionais desse setor artístico.

Entre os egressos das seis turmas já formadas, está Isaura de Matos, que iniciou a graduação no ano de 2012. Para ela, o curso representou a concretização de uma habilidade nata. “Desde criança, me relaciono com o campo artístico, já que meu pai é músico. Então, além da influência familiar, acabei me envolvendo como atriz no teatro musical, onde comecei a estudar e me encantar cada vez mais pela arte dramatúrgica. Motivada pelo desejo de conhecer mais profundamente o universo do desenvolvimento de histórias e personagens, decidi fazer da paixão, ofício”, compartilha Isaura.

 

Fotos: Divulgação/ Uesb.
Arte de Capa: Ascom Uesb.

Jornal do Sudoeste

Os comentários são de responsabilidade de seus autores.

Deixe seu comentário

Categorias ,