Uesb: O desafio de promover ações para a comunidade durante a pandemia

Por Patrick Moraes/Ascom Uesb

 

Um dos principais diferenciais das universidades públicas é a realização de ações voltadas para atender à comunidade externa. As chamadas ações de extensão buscam, por meio do conhecimento e da troca de saberes, promover transformação social e estabelecer conexões ainda mais fortes entre universidade e sociedade. Mas como promover essa troca em um período de isolamento social causado pela pandemia da Covid-19?

Desafiada a encontrar alternativas para desenvolver essas atividades, a Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários (Proex) da Uesb, junto à equipe executora dessas ações, encarou a realidade como um momento de aprendizado. “Identificamos um movimento muito interessante por partes dos extensionistas para aprender e para ensinar o manejo das ferramentas digitais e, assim, dar conta de atender as demandas que chegam”, conta a professora e pró-reitora de Extensão, Gleide Pinheiro.

Realidade adaptada – Em abril, a Proex deu início a um processo de diagnóstico da realidade dos extensionistas para que, em seguida, fosse possível adotar medidas seguras e viáveis de execução de ações que pudessem atender a comunidade. Em maio, o Edital para cadastramento de projetos, programas, eventos e cursos de extensão foi reaberto pelo Comitê Emergencial da Uesb atendendo a uma solicitação do Comitê e da Câmara de Extensão e seguindo protocolos da Organização Mundial de Saúde (OMS). “Desde então, é necessário que a realização de atividades de extensão aconteça de forma, exclusivamente, remota, visando a proteção da integridade da saúde da equipe executora e da população-alvo”, explica a pró-reitora.

 

Ações remotas passarão a fazer parte da realidade da extensão universitária (Foto simulação: Acervo do Projeto).

Hoje, são cerca de 50 ações cadastradas e em execução nos três campi da Uesb. Programas, projetos e eventos que auxiliam em diversos espaços e campos do dia a dia e, principalmente, contextualizadas com a crise sanitária que o mundo vive. “Os relatos de adoecimento mental, emocional e físico são muitos. Nesse contexto, a Extensão teve que criar alternativas de aproximação com a comunidade para a execução de ações, por meio das tecnologias digitais, de forma que seja possível colaborar com a formação de uma rede de apoio à população”, avalia Pinheiro.

Nessa rede de suporte, professores, funcionários e alunos vêm desenvolvendo ações nas mais variadas perspectivas. São projetos de apoio psicológico, de desmitificação de notícias falsas, de produção de sabão líquido, de álcool gel e líquido (ambos a 70%), de protetores tipo “face shield” para distribuição aos serviços de saúde e comunidades carentes, de orientações sobre a pandemia, de elaboração de materiais informativos para profissionais de saúde e população geral, entre tantos outros.

 

Produção de álcool gel e líquido a 70% é destinada aos serviços de saúde e comunidade carentes (Foto: Acervo do Projeto).

Vencendo o desafio do remoto – Nesse grupo de ações de extensão, nasce o projeto “Cultura Popular, cuidado e espiritualidade no apoio à saúde mental em tempos de Covid-19”, uma parceria da Uesb com a Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc). Recém-implantada, a ação é voltada para o cuidado de saúde mental e espiritualidade, “temas recorrentes no meio acadêmico”, segundo o professor Sergio Siqueira Junior, coordenador do projeto.

A iniciativa já desenvolve rodas de conversa e Grupo de Leitura Terapêutica. Em breve, serão realizados, também, atendimentos terapêuticos individuais e em grupos, que contarão com a parceria de outros profissionais de Saúde Mental, como psicólogos, enfermeiros e assistentes sociais. “O projeto tem sido bastante desafiador, até mesmo por ser uma proposta feita em parceria com pessoas que conhecemos apenas pela internet”, pontua Siqueira.

Presente no dia a dia das ações, o professor acredita que esse modelo de projeto extensionista é viável e, com as novas tecnologias e aplicativos, tem sido bem incorporado pelo público. “O que achávamos que poderia ser feito, única e exclusivamente, de forma presencial, agora já temos mais flexibilidade para realizar de forma remota. Mas, uma coisa é certa: a vontade de ver e conversar pessoalmente, dar um aperto de mão ou um abraço, nunca vai passar”, declara.

Quer cadastrar sua ação? – Sem ônus, o Edital para cadastro de ações de extensão na modalidade esporádica segue aberto até o dia 30 de setembro. Além disso, é possível cadastrar, em qualquer período, pelo SigExt, Eventos de Ocasião, como palestras, minicursos, lives ou outra ação com duração de até quatro horas. Em caso de dúvidas, basta entrar em contato pelo e-mail [email protected].

 

 

Foto de Capa: Imagens do @proexuesb.

Jornal do Sudoeste

Categorias ,