90% dos hotéis de Brasília já estão reservados para a posse presidencial

A previsão é que até 1º de janeiro, 95% dos quartos de hotéis da capital federal estejam ocupados

Por: Landara Lima/Brasil 61

Embora o clima de tensão tenha se instalado em Brasília, por causa da tentativa de explosão de bomba, no aeroporto, o setor hoteleiro da capital do País está otimista com o crescimento da demanda de reservas durante o Réveillon. De acordo com dados do Sindicato Patronal de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares do Distrito Federal (Sindhobar-DF) a expectativa é que 95% da rede hoteleira esteja ocupada até  1º de janeiro.

Segundo dados da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH), Brasília recebe pouco mais de 83 mil turistas por ano, que geram para a hotelaria local receita de R$ 298,6 milhões. Antes da pandemia (2019), o turista que se hospedou em Brasília gastou, em média, R$ 298,34 por diária.

De acordo a organização da posse presidencial são esperadas entre 150 mil e 300 mil pessoas entre 31 de dezembro e 1º de janeiro. Para o presidente do Sindhobar, Jael da Silva, a procura por hospedagem em Brasília cresceu. “Cerca de 90% da disponibilidade está reservada, a expectativa dos empresários do setor de hotelaria é bastante alta, porque se ela se concretizar, será um final de ano muito importante para toda a rede hoteleira. Então estamos muito otimistas com a concretização dessas reservas”, diz o presidente.

Outros dois setores que vão lucrar com a oficialização da transição de governo é o de bares, restaurantes e o de eventos. “Os bares, restaurantes, principalmente aqueles que se localizam mais nas imediações da parte central de Brasília, estão otimistas com a concretização das expectativas. Destaque para o pessoal da área de buffet, os pedidos praticamente aumentaram cerca de 50%”, explica Jael da Silva.

Segundo a Associação Brasileira de Agências de Viagem (ABAV), apesar de Brasília não aparecer entre os destinos nacionais mais procurados, vem despontando nos últimos meses como um dos destinos de interesse do brasileiro. “Historicamente nos anos onde temos uma posse presidencial, que é sempre muito importante para os brasileiros, o viajante do lazer tem um interesse incrível em participar desse momento, então a gente sabe que a ocupação hoteleira aumenta muito, as passagens aéreas vão ficando mais caras para o destino e os receptivos até se preparam para isso”, explica a presidente da ABAV, Magda Nassar.

A proprietária de uma empresa de locação de imóveis, Luciana Pontual, se preparou para receber os hospedes que vieram passar as festas de fim de ano e acompanhar a posse presidencial. “Nós tivemos muita demanda, estamos com todas as nossas unidades reservadas para os próximos dias. Eu me preparei para receber os meus hóspedes da mesma forma que eu me preparo em todos os outros momentos, então a gente sempre oferece para o hóspede o serviço que a gente gostaria de receber”, diz a empresária.

De acordo com a Inframerica, concessionaria que administra o Aeroporto de Brasília, são esperados entre os dias 30 de dezembro e 2 de janeiro, 1.050 pousos e decolagens na capital federal. A estimativa de fluxo de pessoas para as datas entre embarques e desembarques é de cerca de 150 mil.

O Aeroporto de Brasília também vai receber reforço policial em operação integrada entre as polícias Militar, Civil e Federal para a posse presidencial e a alta temporada de verão. As equipes vão ter efetivo fixo 24h no aeroporto com rondas abrangendo todo o sítio aeroportuário, juntamente com as equipes privadas de vigilância. O Detran também vai auxiliar na fiscalização dos veículos na região.

Segundo a concessionaria, o Aeroporto de Brasília vai funcionar normalmente no período. As operações de pousos e decolagens estão todas mantidas em seus horários regulares.

Foto de capa: Antônio Cruz/Agência Brasil

Jornal do Sudoeste

Os comentários são de responsabilidade de seus autores.

Deixe seu comentário

Categorias ,