A vida

A vida se resume na mutação do tempo de vivência: infância, adolescência, maturidade (vida adulta) e senescência.

A Infância é o tempo da inocência, da ingenuidade, das brincadeiras e o começo da educação no primário, entre outras atividades.  É o período entre o nascimento e as transformações para a adolescência, nesse período observa-se o desenvolvimento físico, psicomotor e intelectual da pessoa.

A adolescência é o período intermediário entre a infância e a idade adulta, é a   juventude, a mocidade. Nessa fase surge as células reprodutoras masculinas, responsáveis pela reprodução, e nas mulheres a ovulação. É nessa fase, também, que os jovens   se destacam no meio social. É Através dos estudos e ou dos empregos, que definem os seus objetivos, preferências e pretensões.

A Maturidade é o momento que se atinge o pleno desenvolvimento físico, compreendido entre a juventude e a velhice. Nessa fase eles definem os seus objetivos trabalhistas, financeiros, social e familiar, e constroem bens e patrimônios, prevendo o futuro. É o período produtivo.

A Velhice é o último período normal da vida, caracteriza-se pelo enfraquecimento das funções vitais. É o estado da redução das forças físicas, das faculdades mentais, que geralmente os atinge.  Lamentam o aparecimento de doenças, perda da altivez e a não participação em atividades do cotidiano.  Quando atingem a idade avançada da velhice, tornam-se caducos, rabugentos e os netos implicam com eles. Nesse estado, embora desejem permanecer vivo, preparam-se para a morte, inevitável.  Fica mais perto de Deus.

A vida é a maior de todas as artes”;  “A vida e a morte são as faces da mesma moeda […]”; “A arte de morrer segue a de viver”;  A morte chega para todos nós […]”; A morte é o fim que foi fixado para a nossa vida […]”.  (Frases de Mahatma Gandhi).

Antônio Novais Torres

Antônio Novais Torres é comerciante aposentado, membro fundador da Academia de Letras e Artes de Brumado, membro do Conselho da Cidadania de Brumado, ex-membro do PMDB e PTB e membro do Conselho Editorial do Jornal do Sudoeste.
Categorias

Deixe seu comentário