Ansiedade matemática: Por que as pessoas têm medo de cálculos?

A matemática é considerado um dos vilões na vida dos estudantes, mas afinal, por que ficamos ansiosos diante de cálculos matemáticos? Entenda

Por: MF Press Global Gestão geral 

“Deus criou 1+1 e o diabo criou X+Y”. Quem nunca ouviu frases como essa durante a escola? Elas fazem parte da convenção de que a matemática é uma matéria difícil de ser assimilada e seus conceitos, complexos demais para serem compreendidos, mas quanto disso é realmente verdade e quanto diz respeito ao nosso psicológico? Conheça a ansiedade matemática.

O que é a ansiedade matemática?

De acordo com o Pós PhD em neurociências, Dr. Fabiano de Abreu Agrela, em seu artigo “Ansiedade matemática e inteligência”, publicado pela editora Atena, a ansiedade matemática é “um conjunto de crenças, sintomas físicos e emocionais que algumas pessoas experimentam ao lidar com matemática”.

Ela é caracterizada pela apatia ou repulsa dos alunos pela matemática, mas a ansiedade matemática vai além dos sintomas físicos, também podendo causar sensações desagradáveis, antecipação de punição e pode desencadear uma série de efeitos negativos.

A ansiedade matemática tem raízes em ideias negativas socialmente aceitas sobre a matemática que, muitas vezes, não refletem a realidade, ela pode ser até configurada como uma fobia causada por sentimentos de desamparo e tensão diante de estímulos que envolvem cálculos e números.

“A ansiedade à matemática apresenta três elementos emocionais, um ambiente específico e três critérios delimitadores. Reações fisiológicas sentidas e relatadas como desagradáveis, tais com taquicardia, sudorese, extremidades frias, gastrologias, dores de cabeça, náuseas. Sentimentos de fuga e esquiva que tem por função a retirada da estimulação aversiva, faltar a aula, ficar doente no dia da prova. Reações cognitivas peculiares, de maneira negativas à matemática” Afirma no artigo.

Como a ansiedade matemática pode ser tratada ou evitada?

Por ser um problema profundamente enraizado na nossa mente e na própria sociedade, a ansiedade matemática não é fácil de ser superada, mas para isso, é necessário que três pilares importantes unam forças: O professor, a escola e a família.

“O professor desempenha papel importantíssimo, pois a forma como a disciplina será aplicada, ensinada, influenciará no sentimento adquirido em relação à matéria. […] É muito importante que o aluno que apresente ansiedade matemática conte ao seu docente e aos familiares para que as devidas providências sejam tomadas tanto pela escola, quanto pela família. A escola pode atuar com a psicopedagoga e a família precisa ver de onde é a raiz do problema para que o mesmo seja solucionado rapidamente”. Explica Dr. Fabiano de Abreu no artigo.

Foto de Capa: Divulgação

Jornal do Sudoeste

Os comentários são de responsabilidade de seus autores.

Deixe seu comentário

Categorias ,