Qual a importância da tecnologia na educação? Especialista destaca quais os benefícios para crianças

Desenvolver habilidades, estimular o desenvolvimento e raciocínio lógico estão entre os benefícios que ajudarão na preparação das crianças para o futuro que cada vez mais conta com a tecnologia em todos os segmentos

Por: Ana Velasco

Hoje em dia, as crianças e adolescentes estão expostas a inúmeros estímulos tecnológicos. O uso de celulares e tablets, cada vez mais comuns para buscar informações de interesse na internet, acontece de forma simples, apenas com um clique na tela. Assim, um modelo passivo de educação, em que a criança apenas escuta enquanto o professor fala, pode desmotivar os estudantes durante a aula, fazendo com que percam o interesse pelo conteúdo apresentado.

A tecnologia na educação infantil torna o aprendizado mais prazeroso e natural para crianças acostumadas com o mundo digital, permitindo que elas encontrem novas formas de buscar conhecimento, questionar, pesquisar, pensar criticamente e expressar suas opiniões. Assim, o estudo se torna mais interessante e proativo.

“Com o uso das tecnologias é possível transformar o ambiente escolar em um lugar mais dinâmico, onde os alunos podem interagir com o conhecimento de maneira ativa, como estão acostumados a fazer em seu dia a dia fora da escola”, diz Cristhiane Amorim, pedagoga com pós-graduação em neurociência educação e desenvolvimento infantil e especialista em educação do Kumon.

Ainda segundo a especialista, os dispositivos eletrônicos devem ser utilizados com moderação e sempre com a supervisão de um adulto responsável. “Também é fundamental o controle do tempo empregado. Tudo em excesso, pode ser prejudicial. Ainda mais para crianças que estão em processo de formação”, ressalta a pedagoga.

Entre os benefícios, as ferramentas tecnológicas ajudam a desenvolver habilidades socioemocionais, estimulando os alunos a construírem o conhecimento em conjunto. “A tecnologia é uma ótima forma de proporcionar estímulos diferentes às crianças, contribuindo para o seu pleno desenvolvimento”, comenta Cristhiane.

Outro ponto que pode ser destacado é a melhora do raciocínio lógico. Ao propor tarefas que estimulam o levantamento de hipóteses, testes e validação, ela incita a habilidade, e inúmeras outras soluções que trabalham a memória, foco e atenção, levando o aluno a trabalhar suas aptidões na prática.

O Kumon é um método de estudo japonês criado em 1954 pelo professor Toru Kumon. O ensino privilegia o desenvolvimento da autonomia do aluno nos estudos, de forma que ele aprenda de acordo com o seu ritmo. O material didático é autoinstrutivo e dividido em estágios, fazendo com que a complexidade aumente gradualmente. Porém, o aluno só avança para o próximo conteúdo quando consegue assimilar o que é proposto.

O método desenvolve a habilidade acadêmica e outras mais, como: autodidatismo, concentração, capacidade de leitura, raciocínio lógico, independência, hábito de estudo, responsabilidade e autoconfiança. O Kumon oferece aulas de matemática, português, inglês e japonês, para crianças de todas as idades.

 

 

 

Foto de Capa: Divulgação

Jornal do Sudoeste

Os comentários são de responsabilidade de seus autores.

Deixe seu comentário

Categorias ,