Aprenda a como criar um fundo de emergência

Por: Bruno Costa

 

Ter um fundo de emergência garante que você terá de onde tirar um dinheiro extra se precisar ao longo do mês. Ele é uma etapa fundamental da organização do orçamento familiar e deve ser bem planejada.

Neste artigo você vai aprender como criar o seu fundo de emergência, sabendo onde investir e como fazer. Continue lendo para conferir.

O que é um fundo de emergência?

Um fundo de emergência é uma reserva de dinheiro que permite você lidar com qualquer situação imprevista sem a necessidade de alterar o orçamento ou cair em dívidas.

De forma básica, difere das outras formas de economia tradicionais, porque ele deve ter uma quantidade como limite.

Você pode usar seu fundo para fazer um seguro suhai moto, mas deve evitar usá-lo em qualquer ocasião. Esse dinheiro deve ser usado para tratar situações como:

  • Emergências de saúde;
  • Reparos inesperados no carro ou na casa;
  • Viagens urgentes;
  • Gastos inesperados com pets;
  • Outras contingências.

Esteja atento que o fundo de emergência não deve ser usado para compra de itens que não sejam de primeira necessidade e nem para aproveitar promoções. Para este caso, você pode construir uma reserva de oportunidade à parte do seu fundo de emergência.

Por que ter um fundo de emergência?

De forma inicial pode ser difícil formar esse fundo, mas gradualmente você conseguirá atingir o valor desejado e terá muito mais tranquilidade quando surgir qualquer situação inesperada.

Como nunca sabemos o que pode acontecer no futuro, economizar para imprevistos é essencial.

Infelizmente ter esse colchão financeiro é algo subestimado por muitas famílias, pois existe uma tendência a se acreditar que estamos imunes aos eventos infelizes da vida.

Se houver uma postura mais preventiva quanto a isso, podemos evitar diversos problemas, que poderiam levar anos para serem resolvidos se forem negligenciados.

Uma empresa terceirizada de TI sabe que essa poupança precisa ter alvos fixos, uma vez que as metas nos ajudam a nos manter concentrados.

Dessa forma somos mais capazes de evitar tentações da vida que podem estragar nosso plano financeiro, principalmente no que diz respeito ao plano de emergência.

Saúde em primeiro lugar

Uma das principais razões para dar importância a um fundo de emergência é a possibilidade de acidentes, doenças ou coisas que envolvem um procedimento caro que possa subtrair seu dinheiro rapidamente.

Por exemplo, um acidente que vai além dos custos médicos e reparos pode trazer bastante dificuldade para suas finanças pessoais.

Uma consultoria tributaria contábil sabe que o mesmo vale para doenças, nas quais dependendo da gravidade do caso, podem envolver operações e tratamentos longos.

Com isso as despesas médicas podem facilmente superar o salário que você recebe mensalmente, mesmo com planos de saúde, pois podem haver ocasiões em que não há cobertura.

Se você é o principal responsável pela renda da família, existe um outro cenário que torna essencial a criação de um fundo emergencial: a possibilidade de sua morte.

Sem um fundo emergencial, um grande imprevisto como sua morte poderia causar sérios problemas financeiros para sua família. Ainda que esse seja um assunto difícil de lidar, é preciso levar em consideração, pois é uma coisa certa na vida.

Pense na situação da sua família a longo prazo, tomando decisões e ações financeiras com a maior consciência possível.

Dívidas nunca mais

É possível que, diante de todas as situações que abordamos, você já tenha passado ou esteja passando por alguma delas.

Quando os problemas ocorrem e não temos um fundo de emergência, é preciso recorrer ao crédito fácil dos cartões de crédito ou empréstimos, ficando sujeito a juros exorbitantes que estes geram.

Em algumas situações de emergência você pode tentar a antecipação de recebíveis, mas nem sempre é possível.

Além de toda a carga emocional proveniente de situações problemáticas, os montantes necessários em momentos de emergência são difíceis de liquidar em um curto período de tempo, implicando em enormes endividamentos.

Existem circunstâncias que a situação extrapola tanto o limite razoável que as famílias se veem obrigadas a vender ou penhorar bens valiosos para que possam se sustentar.

Uma consultoria em implantação de erp vê com bastante clareza a importância em ter um fundo para imprevistos, pois é assim que evitamos fazer novas dívidas e podemos dormir tranquilos à noite.

Quanto guardar em um fundo de emergência?

De forma geral, é recomendado que o fundo de emergência seja equivalente ao orçamento usado para cobrir suas despesas mensais por no mínimo 6 meses, podendo chegar a 12 dependendo de sua estabilidade no emprego.

Quanto mais estável for sua situação, menor a quantidade de meses necessários para serem incluídos no fundo.

Para poder fazer esse cálculo é preciso que você saiba seu custo de vida mensal, ou seja, quanto você e sua família precisam para viver seu padrão de vida atual com você em seu emprego com uma empresa que faz transfer para aeroporto.

Depois você multiplica pelo número de meses que deseja cobrir em caso de emergência ou desemprego.

É por isso que, quanto mais seguro seu emprego, menos você precisa guardar, mas se você for um empreendedor de com pouca segurança da sua renda, precisa fazer uma reserva maior, pois seu risco também é maior.

Onde guardar o fundo de emergência?

Atualmente existem alternativas bem mais convenientes, benéficas e rentáveis para guardar o fundo de emergência.

Um fator importante é a liquidez do seu investimento, que deve ser imediata, ou seja, você deve poder recuperar seu dinheiro quando precisar ou quando os imprevistos acontecerem.

Algumas boas opções para guardar seu fundo de emergência são investimentos como:

  • Tesouro Selic;
  • CDBs de liquidez diária;
  • RDB da Nuconta;
  • Fundos de investimento em renda fixa.

Jamais invista seu fundo de emergência em produtos de renda variável como ações ou fundos imobiliários, pois são investimentos voláteis, que mudam de preço muito rápido.

Eles podem parecer mais rentáveis, mas não há garantia que você sairá positivo das operações. Preze mais pela segurança e previsibilidade do seu fundo do que pela rentabilidade para escolher onde guardá-lo.

Como criar um fundo de emergência?

Compor seu fundo de emergência não é uma tarefa fácil e vai exigir de você muita disciplina e paciência. Antes de começar a economizar, existem alguns passos que você deve seguir. Confira.

  1. Faça seu orçamento pessoal

Assim como é sabido por uma empresa de manutenção pabx intelbras, é fundamental primeiro elaborar seu orçamento pessoal para entender como estão suas finanças.

É muito difícil ter um fundo de emergência se nosso salário não atende as necessidades que temos durante o mês.

  1. Tenha controle financeiro

Você precisa controlar suas finanças adequadamente. Com uma boa organização e gastos controlados você vai conseguir separar o necessário para reservar em seu fundo de emergência.

A regra 50-30-20, em que você reserva 20% do seu orçamento para economizar, pode te ajudar nesse processo.

  1. Calcule o valor do seu fundo

Como já mencionamos, o fundo de emergência deve cobrir entre 6 e 12 meses das despesas da família.

Quanto maior for a quantidade de dinheiro em seu fundo de emergência, menor será a probabilidade de ter problemas financeiros caso ocorra alguma eventualidade.

A partir do conhecimento do valor médio de suas despesas mensais e o tempo necessário para compor seu fundo, multiplique pelo número de meses definido e você saberá o valor exato que precisa ter em seu fundo de emergência.

  1. Comece a poupar

Depois de saber qual é o valor ideal para seu fundo, é hora de começar a juntar dinheiro para formá-lo.

Preferencialmente, coloque o seu fundo de emergência em uma conta separada, que seja exclusiva para situações imprevistas e lembre-se dos locais que indicamos para guardar seus fundos acima no artigo.

  1. Reabasteça quando necessário

Por fim, não se esqueça de reabastecer seu fundo sempre que precisar usá-lo para cobrir gastos inesperados. Não fique triste ou com receio de usar sua reserva para a manutenção de câmeras de segurança SP se a segurança for algo que está pendente em sua vida.

Sua reserva serve para isso mesmo, mas precisa ser reposta para manter a segurança ao longo dos meses.

Considerações finais

Após ler este artigo, você já sabe por onde começar seu fundo de emergência e sabe que pode demorar um pouco para você ter um valor estável guardado. Essa tarefa exigirá uma certa dose de dedicação, sacrifício e disciplina de você para poupar o dinheiro todo mês.

Porém, mesmo que leve meses ou anos para você compor seu fundo de emergência, o importante é não desistir, pois esse fundo é o que vai garantir sua tranquilidade no futuro.

Se você tiver dívidas, priorize pagá-las antes de qualquer coisa, para evitar juros e cobranças futuras.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

 

Foto de capa: Jcomp/Freepik

Jornal do Sudoeste

Os comentários são de responsabilidade de seus autores.

Deixe seu comentário

Categorias ,