77 3441-7081 — [email protected]

Bahia: Plataforma online auxilia trabalhadores na escolha por profissão

Por Cristiano Carlos

 

A indústria da Bahia é responsável por quase cinco por cento de toda a riqueza produzida no país gerando cerca de R$ 54 bilhões de reais todos os anos. Os setores produtivos baianos empregam mais de 350 mil trabalhadores qualificados em diversas áreas, com salário médio de R$ 2.565 por empregado. Os números são da Confederação Nacional da Indústria, a CNI, e comprovam que as profissões técnicas estão, cada vez mais, atraindo jovens e profissionais interessados em garantir um lugar seguro no mercado de trabalho.

No entanto, a pessoa interessada em seguir o caminho das profissões técnicas precisa escolher a área de atuação e a tarefa pode não ser tão fácil como parece. A dica é conhecer a profissão antes de começar os estudos.

MAIS: Acesse essa matéria em formato para rádio aqui

No início de novembro, as escolas do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), da Bahia, abriram as portas para a população conhecer os cursos técnicos disponíveis no estado. Os interessados em seguir a carreira industrial puderam ver as estruturas das escolas e acompanhar palestras explicativas sobre as profissões técnicas realizadas pelo programa Mundo SENAI de orientação profissional.

“Nesse período, o SENAI abre as portas para que toda a comunidade, para que os jovens possam conhecer o SENAI. Realizamos palestras, minicursos, demonstrações práticas. Realizamos também competições técnicas. Tudo isso, com objetivo de divulgar as oportunidades de formação profissional com foco na indústria”, explica a Gerente de Educação Profissional do SENAI, da Bahia, Patrícia Evangelista.

Mundo SENAI

O programa Mundo SENAI orienta as pessoas interessadas em ingressar nas carreiras técnicas profissionais por meio de uma plataforma eletrônica na internet. O serviço de orientação profissional Mundo SENAI usa a ferramenta Watson, da IBM, que é capaz de pesquisar 92 características socioemocionais do usuário, como amabilidade, autodisciplina e extroversão, entre outras. Desta forma, a plataforma indica quais profissões da indústria são mais adequadas ao perfil analisado do usuário.

Além disso, o Mundo SENAI disponibiliza informações sobre vagas de emprego e estágio, por localidade e função. O usuário do sistema tem acesso ao histórico de vagas abertas pelas empresas e, no guia de profissões, fica sabendo dos detalhes das atividades profissionais da indústria e os valores dos salários médios de cada cargo.

“O portal do Mundo SENAI, o mundosenai.com.br, é um portal muito interessante, que ajuda as pessoas a identificarem quais são os cursos do SENAI ou quais são as áreas que melhor se encaixam no seu perfil. É uma plataforma bastante interativa, muito amigável, fácil de navegação”, ressalta Patrícia Evangelista.

Futuro da Indústria

Até o ano de 2020, o país vai precisar capacitar cerca de 13 milhões de profissionais para atuarem nas indústrias e, assim, evitar um apagão produtivo por falta de mão de obra qualificada. Os estados do Nordeste têm a missão de formar quase dois milhões de profissionais. Destes, mais de 240 mil terão de ser de nível técnico. A estimativa é do Mapa do Trabalho Industrial 2017-2020, da Confederação Nacional da Indústria, a CNI.

O problema é que de acordo com números do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, o INEP, levantados pelo Mapa Estratégico da Indústria 2018-2022, da CNI, menos de 10% dos estudantes de nível médio optam em cursar o ensino técnico profissional no país e a tendência é de que as indústrias tenham ainda mais dificuldades para contratar, já que, as linhas de produção estão sendo digitalizadas por causa do movimento conhecido como Indústria 4.0. Nesse cenário, o trabalhador do presente e do futuro terá de se adequar ao mundo digital, aos novos processos, inovações e tecnologias.

“As empresas vão buscar profissionais que têm criticidade, que saibam analisar informações, interpretar dados. Este, certamente, será o contexto determinante na atuação das empresas ao preencher seus quadros. São quadros que agregam valores na capacidade de interpretar informações uma vez que, progressivamente, as atividades rotineiras, as tarefas, serão desempenhadas por algoritmos e robôs”, prevê o Diretor-Geral do SENAI, Rafael Lucchesi.

Emprego

Em outubro, o número de contratações no setor da indústria de transformação da Bahia ficou estável, em comparação ao número de demissões, com saldo positivo de quase 100 vagas criadas, no período, de acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do Ministério do Trabalho e Emprego, o CAGED.

De janeiro a outubro, as indústrias de transformação da baianas contrataram mais trabalhadores do que demitiu, com saldo positivo de quase cinco mil novas oportunidades.

Na Bahia, o SENAI conta com 11 escolas e 13 Centros de Formação Profissional espalhados por todo estado.

Jornal do Sudoeste

Categorias