Centro de recursos pesqueiros e aquicultura da Codevasf na Bahia revitaliza São Francisco com 1,9 milhão de peixes

Por Ascom/ Codevasf
Cerca de 1,9 milhão de alevinos produzidos pelo Centro Integrado de Recursos Pesqueiros e Aquicultura de Xique-Xique foram utilizados em ações de repovoamento do rio São Francisco e de seus afluentes e de fomento à piscicultura como atividade produtiva no ano de 2020. Esses e outros dados integram o balanço das atividades do centro de recursos pesqueiros e aquicultura da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), que realiza pesquisa e produção para ações de revitalização da bacia do São Francisco na Bahia.
Segundo o chefe do Centro Integrado de Recursos Pesqueiros e Aquicultura de Xique-Xique, Antônio do Nascimento, a produção de alevinos da unidade visa atender às ações da Codevasf de repovoamento do rio São Francisco com espécies nativas e ainda promover o apoio à produção de piscicultores da região, que recebem e cultivam os peixes com fins comerciais.
“Essas ações são de elevada importância não só para o meio ambiente, como também para ajudar a manter o modo de vida das comunidades e a cultura local, que tradicionalmente está totalmente ligada à pesca. O peixe é a principal fonte de consumo de proteína animal. Por vezes,
sendo a única. A ictiofauna do São Francisco é um recurso imensurável para população que dela depende. Por isso, a redução dos estoques impacta diretamente o modo de vida do ribeirinho”, disse o chefe do Centro Integrado de Recursos Pesqueiros e Aquicultura.
Um dos beneficiados pelo trabalho de pesquisa e produção em aquicultura e recursos pesqueiros da Codevasf comemora o resultado das ações de revitalização da bacia hidrográfica do rio São Francisco na Bahia.
“Quero agradecer à Codevasf pela disponibilização de alevinos para os nossos produtores de tilápia e tambaqui e, por sermos ribeirinhos, também pela realização de peixamentos que servem para revitalização do rio São Francisco. Isso é muito importante para piscicultores e pescadores da região, que atuam tanto em criatórios, como no rio São Francisco. Muitos vivem da pesca artesanal ou em tanques escavados”, afirmou Claudemir Pereira, presidente da Associação de Palmas e Passos, do município de Serra do Ramalho.
No ano de 2020, foram 4.413 beneficiados diretamente por essas ações do Centro, além de 59 associações atendidas. Os municípios baianos beneficiados foram: América Dourada, Barra, Barro Alto, Bom Jesus da Lapa, Brotas de Macaúbas, Cafarnaum, Central, Ibipeba, Ibititá, Ibotirama, Igaporã, Ipupiara, Irecê, Itaguaçu, João Dourado, Jussara, Lapão, Lençóis, Mansidão, Matina, Morpará, Paratinga, Presidente Dutra, São Gabriel, Serra do Ramalho, Sítio do Mato, Uibai e Xique-Xique. O município de Júlio Borges, no Piauí, também foi contemplado com as ações.
“É importante ressaltar que, além da equipe do Centro de Recursos Pesqueiros, o sucesso desse trabalho tão importante para a região é fruto dos esforços coletivos de toda a 2ª Superintendência Regional da Codevasf, por meio da Gerência Regional de Revitalização e da Unidade de
Desenvolvimento Territorial da 2ª SR”, finalizou Antônio Nascimento.
Centro Integrado de Recursos Pesqueiros e Aquicultura de Xique-Xique
O Centro Integrado de Recursos Pesqueiros e Aquicultura de Xique-Xique, criado em 2009, passou por uma reforma completa acompanhada de ampliação, que foi iniciada em 2016 e concluída em 2017, com o objetivo de reforçar o desenvolvimento da piscicultura no semiárido da
Bahia. As obras modernizaram o centro de aquicultura, permitindo o aumento da capacidade de produção de alevinos, além da ampliação do número de espécies cultivadas. Ao todo, foram investidos à época cerca de R$ 3,9 milhões na reforma.
Hoje o centro conta com o prédio da administração devidamente reformado e ampliado. Um prédio anexo, que não existia antes, abriga um moderno laboratório e uma sala de aula. São 57 tanques, incluindo o tanque pulmão, sendo 24 desses construídos após a ampliação. O local conta ainda com auditório, dois alojamentos, depósito de ração, estação de reuso, garagem e portaria. A sede do centro, que conta com uma área total de 10 hectares, é o povoado de Nova Iguira, no município de Xique-Xique.
Com isso, foi possível ampliar significativamente a produção de alevinos da unidade, passando de 600 mil no ano de 2016 para 1,9 milhão em 2020. A reforma também propiciou o aumento do número de espécies trabalhadas, passando de três para cinco, podendo aumentar para seis em 2021.
A Codevasf possui outros cinco centros integrados de recursos pesqueiros e aquicultura, que também realizam algumas atividades como o desenvolvimento de pesquisas e tecnologias de reprodução, larvicultura e alevinagem de espécies de peixes nativas, produção de alevinos para o
repovoamento de mananciais, ações de educação ambiental, capacitação em piscicultura apoio a projetos instalados em municípios da região, monitoramento da qualidade da água e apoio a fiscalização ambiental.
Foto de Capa: Divulgação/ Codevasf.

Jornal do Sudoeste

Categorias ,