77 3441-7081 — [email protected]

Com muita alegria, Cesol inaugura loja física em Guanambi

Diretora do IDSB, Wilde Soares (à esquerda) e a coordenadora do Cesol, Leiliane Aranha, realizam ato inaugural.

 

A manhã de hoje foi uma grande realização para o Centro Público Sertão produtivo. Nesse período, foi inaugurada a loja física “é-com rede”, na sede do Cesol, Rua 1º de maio, nº133. A comunidade de toda região foi convidada e, felizmente, muita gente compareceu nesse evento festivo, que, além do delicioso café da manhã, também teve a apresentação da dupla Cícero e Sofia Leão, pai e filha que cantam sertanejo raiz.

Dentre o público presente, estavam os empreendimentos assistidos pelo Cesol, o prefeito de Guanambi, Jairo Magalhães, e os secretários do comércio e da Cultura, Esporte e Lazer, Hugo Costa e Paulo Costa. Todos puderam conferir a grande diversidade de produtos à venda. A variação é dos alimentícios (biscoitos, doces, geleias) aos artesanatos, roupas, bola de futebol, bonecas, cestos etc.

Da esquerda para direita, secretário do comércio Hugo Costa, Ramon Silva, o prefeito Jairo Malgalhães, Enoque Júnior, Estafânia Moreira, diretora do IDSB Wilde Soares e secretário de cultura Paulo Costa.

 

O prefeito deu abertura à solenidade de inauguração. Em sua fala ele ressaltou a parceria do centro público com o governo municipal. “Nada mais interessante, positivo, do que, tanto a prefeitura, como o Cesol entrar nessa parte de fomentar cada um de vocês para que se estabeleçam no mercado”, disse, referindo-se ao público.

Em seguida, a diretora do Instituto de Desenvolvimento Sustentável Baiano (IDSB), Wilde Soares, também discursou. Destacou a importância da economia solidária para a sociedade e defendeu que dela seja feita uma política de estado, assim seria mais fácil adquirir mais recursos para mais projetos na área. A diretora afirmou toda sua fé na loja, que será um sucesso. Ao final ela ainda leu uma mensagem do presidente do IDSB, Eduardo Moraes, que dentre outras palavras, prezou por destacar que a “economia solidária tem foco na valorização do humano, não apenas no capital, desenvolvemos uma luta constante no combate às desigualdades sociais e ao desemprego, em busca da autonomia e ações coletivas dos empreendimentos assessorados”.

Sucesso também é o que espera a produtora de polpa de frutas Celma Porto, segundo a trabalhadora “a dificuldade não é a produção, é a comercialização. A gente precisa de um espaço que faça por nós. A loja vai melhorar muito a vida dos empreendedores que trabalham coletivamente, dia a dia na luta pela sua sobrevivência. Parabenizo a iniciativa de Luiz Cravo, a equipe do IDSB, que não tem medido esforços para realizar este trabalho, e dos nossos colegas”, concluiu.

Questionado sobre o sucesso do evento, a coordenadora disse sorridente: “a expectativa era muito grande, estávamos há bastante tempo pensando, planejando inaugurar nossa loja. Foi surpreendente, porque tivemos uma presença muito grande dos empreendimentos. Nossa recepção também foi bem calorosa. As pessoas se surpreenderam com o espaço, com a diversidade e qualidade dos produtos. É o início de uma grande jornada que a gente tem ainda pela frente” afirmou Leiliane Aranha.

 

Veja outros depoimentos coletados no evento sobre o Cesol Sertão Produtivo

Hugo Costa – secretário do comércio de Guanambi

Extremamente importante e gratificante estar presente na instalação desta loja física, uma vez que a agricultura familiar é a maior indústria que temos no interior. É preciso fortalecer cada vez mais a agricultura familiar e colaborar com a comercialização desses produtos. Para que o produtor consiga vender com proço bom, adequando marcas para fortalecer mais valor. Com isso, ganhar a região e gerar emprego e renda para o interior do Nordeste.

Maria Milta Fernandes, artesã

Acredito que tudo que veio da economia solidário veio para fortalecer o pequeno que produz e trazer benefícios para própria comunidade. Produtos sem veneno, valorização da natureza… É a sustentabilidade, para mim a economia solidária é tudo e é uma alternativa.

Dilma Oliveira, produtora de derivados de mandioca

Já tinha começado, mas com a assessoria deles foi bem melhor. Só temos a agradecer, o Cesol caiu do céu pra nós. Acreditamos muito no poder do Cesol, além de não deixar ter o êxodo rural, também agrega valor ao nosso produto.

Jornal do Sudoeste

Categorias