DESAFETO

Não posso te amar

Desafeto.

Não devo, nem quero.

Prefiro estar só

A ter-te por perto

Enfreando o espaço

Vago de um amor.

Prefiro noites

Insones

A dormir o sono

Dos desesperados.

Não te quero

Nem te pretendo

Ao meu lado

Nem na minha frente.

É cegueira de alma

Gostar de sofrer.

Nunca te quis.

Tânia Martins

Tânia Martins

Categorias