77 3441-7081 — [email protected]

Tânia Martins

Tânia Martins

Não tenho escolha!

Por Tânia Martins / 21 de maio de 2019 / Nenhum comentário

Não tenho escolha! Nada há a fazer Senão resignar-me Com a tua vontade que não é santa Mas é tua humana decisão. Coisa alguma existe Entre o caos e o caos Além da tragédia – Essa comédia que Faz-nos rir de tão Tragicômica.   Gargalhadas ébrias De desgosto e despeito (mais…)

Leia Mais

Pura beleza

Por Tânia Martins / 6 de maio de 2019 / Nenhum comentário

Um poema de amor escrito por Deus num momento de ternura!… Uma gota de luz nos olhos do Eterno geraram um Ser especial. Exagerada? Não. Apaixonada. ” Meu mundo de ternura meu mundo de luz, doce, suave mas firme como as noites que vivi ao seu lado momentos de amor.” (mais…)

Leia Mais

Trago no peito

Por Tânia Martins / 30 de abril de 2019 / Nenhum comentário

Trago no peito O trago da saudade E trago do ar Teu cheiro do passado Que ainda passa Por mim. … e trago-te… Estrago meu prazer Deixando a água Escorrer pelas Montanhas da terra E pelos ventos vagabundos Tenho notícias Do mundo, Fico sabendo de guerras E do último beija-flor (mais…)

Leia Mais

O vento traz música e saudade de amores.

Por Tânia Martins / 15 de abril de 2019 / Nenhum comentário

A vida era polida, suave encanto! A vida não era só calor . Era também noites amenas de estrelas e canções ao luar. Um arrepio passa. Leve brisa traz o silêncio… Não há passos na rua… A lua sumiu… Um gato espreita na escuridão. O muro está aí. E eu (mais…)

Leia Mais

Você dentro de mim

Por Tânia Martins / 8 de abril de 2019 / Nenhum comentário

Você dentro de mim Não é uma promessa. É uma dor sutil, Impertinente Que desassossega. Uma farpa fincada, Arranhando e escorrendo água… (mais…)

Leia Mais

Minha terra tão querida,

Por Tânia Martins / 28 de março de 2019 / Nenhum comentário

Minha terra tão querida, Tanto amada Agora vilipendiada, Conspurcada Por um bando quadrilheiro Que, desordeiro, Ordena a pilhagem, O tráfico de influência E atua como o Todo Poderoso Senhor Desta terra agora Humilhada, Estuprada moralmente. Pior, impotente. (mais…)

Leia Mais

Um nome escrito

Por Tânia Martins / 7 de março de 2019 / Nenhum comentário

(Um nome escrito A fogo No coração.) Era uma grande ilusão. Um desesperado amor Que agora passado Não mais escreve poesias Nem sorri Para a vida. (mais…)

Leia Mais

Naquele dia

Por Tânia Martins / 23 de janeiro de 2019 / Nenhum comentário

Naquele dia Quando você passou E o sol parou Para lhe apreciar Eu compreendi Que na vida Há tantos mistérios, Tantos planos secretos, Conluios e esquemas Aos quais nunca Poderei questionar. (mais…)

Leia Mais

Era um amor desesperado

Por Tânia Martins / 15 de janeiro de 2019 / Nenhum comentário

Embora feito de estrelas, Magia, jasmim, Luar, canções. Era, sim, uma criança Feliz, brincando Na chuva; Sorvendo orvalho; Correndo pelo campo; Cabelo ao vento. Liberto: sem peias. Livre: sonhador. (mais…)

Leia Mais

( A sarça não arde.)

Por Tânia Martins / 19 de novembro de 2018 / Nenhum comentário

Distante dos olhos Enche o coração De angústia e dor. Lágrimas nem molham Mais; Nem escorrem; Amontoadas nos olhos, Escolhos a dolorir. Tentando luz, Tateando becos, Quebrando esquinas, Aparando arestas, Desejando sorrisos, Almejando festas, Sob a cruz, sem alarde Mas… a sarça não arde. (mais…)

Leia Mais