Tânia Martins

Tânia Martins

Bebo o néctar da vida,

Por Tânia Martins / 19 de dezembro de 2019 /

Bebo o néctar da vida, Sôfrega. Lambuzo-me no melaço De felicidade que, Em conta-gotas, consigo. E canto. E canto mais Louvando a vida Que me foi dada E eu nem sei porquê. … e cato flores Entre as flores da cidade! … e vivo amores Aparentes, pura ficção, Nenhuma realidade. (mais…)

Leia Mais

Meus olhos…

Por Tânia Martins / 26 de novembro de 2019 /

Meus olhos que te guardam Fixam-se no infinito De azul e beleza do Universo! Meus olhos que te guardam São oceanos a luzirem O luar; São guardiães das sementes De carinho Deixadas no caminho Percorrido. Sobre os Andes, Sobre os Alpes, Kilimandjaro, Rochosas, ou Atlas Meus olhos que te guardam (mais…)

Leia Mais

Bebo o néctar da vida,

Por Tânia Martins / 24 de outubro de 2019 /

Bebo o néctar da vida, Sôfrega. Lambuzo-me no melaço De felicidade que, Em conta-gotas, consigo. E canto. E canto mais Louvando a vida Que me foi dada E eu nem sei porquê. … e cato flores Entre as flores da cidade! … e vivo amores Aparentes, pura ficção, Nenhuma realidade. (mais…)

Leia Mais

LIGA NÃO

Por Tânia Martins / 20 de setembro de 2019 /

Se eu disser outra vez que te amo não liga, desliga o teu coração. Desliga tua emoção e vá ouvir a chuva na janela, o pássaro no arvoredo, as gotas de luar caindo sobre o campo. Se eu insistir em dizer que te amo aumenta o volume do televisor, vá (mais…)

Leia Mais

QUANDO VOCÊ ME ESQUECE

Por Tânia Martins / 5 de setembro de 2019 /

Quando você me esquece O poeta que sou Chora versos Sobre as flores, Frágeis flores Do nosso amor. (mais…)

Leia Mais

De festa se vestiu

Por Tânia Martins / 5 de agosto de 2019 /

De festa se vestiu O jardim. Borboletas tantas Bailando entre flores Que flores borboletas Esvoaçam cores Por entre cheiros, Sombra e luz. (mais…)

Leia Mais

Amanhã de manhã

Por Tânia Martins / 29 de julho de 2019 /

Não estarás ao meu lado E eu nem posso dizer: “SINTO MUITO”. Isso não é verdade Amanhã – outro dia, Outra vez estarei só. Nem preciso dizer que é um alívio não ter que fazer quase tudo para te agradar. Amanhã de manhã Na cama só minha Desfrutarei do silêncio (mais…)

Leia Mais

Lucidez no Pecado Original

Por Tânia Martins / 20 de junho de 2019 /

Quando saí do Éden Era quase noite E uma chuva fria Lavava a Terra. Não olhei para trás, Nem pensei em figueira Nem nas águas Do Tigre e do Eufrates. Só quis ir adiante, Vencer os montes, Encontrar abrigo Entre os animais Pois descobri que Os irracionais Tantas vezes são (mais…)

Leia Mais

A brisa nas folhas

Por Tânia Martins / 7 de junho de 2019 /

A brisa nas folhas Da gameleira Não falam de ti. A brisa não te encontra. Não mais. Não me traz Notícias do seu paradeiro E faz tanto tempo! (mais…)

Leia Mais

Não tenho escolha!

Por Tânia Martins / 21 de Maio de 2019 /

Não tenho escolha! Nada há a fazer Senão resignar-me Com a tua vontade que não é santa Mas é tua humana decisão. Coisa alguma existe Entre o caos e o caos Além da tragédia – Essa comédia que Faz-nos rir de tão Tragicômica.   Gargalhadas ébrias De desgosto e despeito (mais…)

Leia Mais