77 3441-7081 — [email protected]

Tânia Martins

Tânia Martins

EM MAIA

Por Tânia Martins / 23 de julho de 2018 / Nenhum comentário

Eu sou a poesia Que estertora Enquanto você ora Para os deuses pagãos; Enquanto a humanidade, Sempre agindo como gado, Segue a guia. Eu sou o desprazer de compreender Que o vício Agora é normal e antinatural é só Meu estupor. A poesia chora Em versos anônimos e mais, deplora (mais…)

Leia Mais

O campo verdejante…

Por Tânia Martins / 17 de julho de 2018 / Nenhum comentário

Sento-me á sombra do jasmineiro florido recolhendo – me em a quietude da solidão!… Perguntas sem respostas; óbices a superar e a alma em postas sangra dor. Uma dor ingente que vem nem sei de onde nem por quê!… E eu só queria o aconchego do abraço amado!… O som (mais…)

Leia Mais

… INCREDULIDADE

Por Tânia Martins / 9 de julho de 2018 / Nenhum comentário

Eu te pedi: “Quero falar de amor” Mas a gente só fala do que conhece, Do que vivencia. Só os tolos falam Do que não sabem. Eu quis tanto!… Sonhei noites infinitas… Plantei bons sentimentos E, agora, solidão!… Pasmo!… Incredulidade. (mais…)

Leia Mais

INSATISFEITA

Por Tânia Martins / 19 de junho de 2018 / Nenhum comentário

Das aves, as asas se partiram. Nos contos, tristeza e solidão! Nas contas, rezas esquecidas. No peito, insatisfação! Das flores, perfumes na memória. Da neblina, suave recordar. Do ocaso, uma saudade E a dor de não poder ganhar Afagos. Dor atroz Que tortura meu ser Atormentado, infeliz, desgraçado! … e (mais…)

Leia Mais

Dispenso tuas flores,

Por Tânia Martins / 24 de abril de 2018 / Nenhum comentário

Mais espinhos Que flores. Estou cansada Dessa luta para nada. Tentativas fracassadas De fazer, ao menos, Penumbra, Já que a luz É apanágio dos sóbrios E sábia já sabias Não o sou. (mais…)

Leia Mais

NAQUELA NOITE

Por Tânia Martins / 16 de abril de 2018 / Nenhum comentário

Quando a lua Se escondeu atrás do coqueiro Eu percebi que a vida É uma fagulha (brevíssima), Um lumiar fugaz, Um sopro derradeiro. (mais…)

Leia Mais

AH! QUANTA COISA BONITA

Por Tânia Martins / 27 de março de 2018 / Nenhum comentário

Eu queria dizer-te!… Quanto riso Provocar!… Tanta alegria em convencer-te Que o mais importante É te amar Sentir-te Querer-te Enquanto a semente Germina; A nuvem se transforma  Em neblina; A flor torna-se fruto E o fruto adoça minha língua Que míngua Sem teu sabor. Tanta alegria em saber Que mais (mais…)

Leia Mais

ESTAVA TÕA BONITA!

Por Tânia Martins / 6 de março de 2018 / Nenhum comentário

Eu nunca te vi Tão linda! Jamais te pensei Tão bela!                   Nem mesmo sonhei Uma noite Olhar-te pela janela E gozar teu garbo Colorido De dentro ainda de ti. (mais…)

Leia Mais

SE A TI PRAZA

Por Tânia Martins / 26 de fevereiro de 2018 / Nenhum comentário

Dar-me O inferno Por oferta Renego-o E por alerta Aviso: Não te quero mais. (mais…)

Leia Mais

Efêmera

Por Tânia Martins / 25 de janeiro de 2018 / Nenhum comentário

Não te decepcionarei,mundo cão, maldito.          Serei como a lágrima:          Pura, límpida, salgada          a rolar sem pressa          pela face lavada.Não te saturarei,Infame, com meu grito.          Serei como a fumaça:          diáfana, leve, temporal          comungando amor          no espaço sideral.Não te degradarei,mundo verme, bandido.Eu não serei vulgarnem te farei poluído. (mais…)

Leia Mais