Desmitificando o Forex

Do termo em inglês foreign exchange market (“mercado cambial”) surgiu um dos acrônimos mais famosos do mercado financeiro: Forex. Podemos dizer que nele se encontra a própria essência do trading; pois, em vez de serem negociadas ações, commodities ou matérias-primas, o que se negocia são cotações de pares de moedas.

Em parte devido ao seu caráter descentralizado, este é o mercado de maior liquidez (isto é, aquele que gera maior volume de operações) do mundo. Não é de admirar, portanto, que haja diversas opções de corretoras de Forex, nas quais os traders podem, em plataformas seguras e de fácil acesso, realizar negócios 24 horas por dia, cinco dias por semana.

O que o Forex não é

Embora a tradução de Forex (ou simplesmente FX) seja mercado cambial, este termo talvez dê uma impressão equivocada a respeito de sua dinâmica. Porque, enquanto em uma operação de câmbio típica realiza-se a troca de uma moeda por outra, no Forex o que se negocia é o valor de uma moeda em relação a outra.

Em termos mais claros, podemos dizer o seguinte: o trader que opera em FX está realizando uma “aposta” no que diz respeito a quanto determinada moeda irá valorizar ou desvalorizar em comparação com outra. É de tais (possíveis) valorizações e desvalorizações que vem o seu lucro, e não das cotações das moedas em si.

Quem investe em Forex

Repare-se que, embora este texto seja dedicado a um determinado tipo de operação no mercado financeiro, em momento algum utilizamos as palavras investidor e investimento. Em vez disso, as palavras utilizadas foram trader e trading. Para quem tem algum interesse em operar em FX, entender a diferença entre uma coisa e outra é fundamental.

Um investidor (mesmo o de perfil considerado arrojado) adota estratégias de médio/longo prazo na maior parte das vezes. Quando compra ações (que são ativos considerados de maior risco), ele o faz com a mentalidade de quem se tornou sócio daquela empresa. E um sócio dificilmente entrará ou sairá de um negócio de uma hora para a outra.

Um trader, por outro lado, tem em vista única e exclusivamente se beneficiar com variações de preços. Seu objetivo é o famoso “comprar na baixa e vender na alta”, o que requer atenção constante a todo e qualquer evento que possa influenciar a cotação de uma moeda e um certo feeling para reconhecer quando (e até que ponto) o mercado responderá a tais eventos.

O Forex é para você?

Como se vê, um trader assume uma postura muito diferente da de um investidor. O primeiro pode se dar ao luxo de passar semanas sem olhar para o preço de determinada cotação, ao passo que o segundo precisa manter-se atualizado constantemente e estar atento à menor mudança de preço. E, no caso de um mercado tão dinâmico como o Forex, o nível de atenção que se requer é ainda maior.

Concluímos ressaltando que estar “antenado” nem sempre é o bastante para se tornar um bom trader. É preciso também aprender a discernir quais indicadores são relevantes em termos macroenômicos para, a partir daí, chegar a estimativas cada vez mais embasadas. Tudo isso demanda familiarizar-se com números, e, acima de tudo, interessar-se por tudo o que diga respeito ao mercado financeiro.

 

 

 

Foto de Capa: Unsplash

Jornal do Sudoeste

Os comentários são de responsabilidade de seus autores.

Deixe seu comentário

Categorias ,