DIA DE REIS

O Reisado, de origem egípcia, é comemorado desde a Idade Média e, conta a história dos Reis Magos do Oriente que foram a Belém da Judeia, seguindo a estrela,  adorar o Menino Jesus, recém-nascido, e entrando na casa adoraram o menino com Maria sua mãe , e prostrando-se, Baltazar, Belchior e Gaspar,  o adoraram; e abrindo os seus tesouros, lhe ofertaram  dádivas: ouro, incenso e mirra,   conforme relatado no Evangelho escrito por Mateus (2,1-12). O dia 6 de janeiro, O Dia de Reis, marca o final do ciclo do Natal e do Ano Bom.

É considerado uma festividade profano-religiosa. Constituiu-se na Europa de festas populares dedicadas aos três Reis Magos em sua visita ao Deus Menino. Na Península Ibérica, o dia dos Santos-Reis continua vivo e comemorado, uma tradição da época de dar e receber presentes.

A Folia de Reis chegou ao Brasil trazida pelos colonizadores portugueses, e sua comemoração acontece entre 24 de dezembro a 06 de janeiro. Para celebrar o nascimento de Cristo, era feita uma reconstituição simbólica da trajetória dos três Reis Magos, de acordo com o conteúdo Bíblico.  Segundo a tradição, vários grupos costumavam ir de casa em casa anunciando o nascimento do Menino Jesus. De lá para cá, as festas ficaram recheadas de histórias folclóricas, com cantigas populares da imaginação dos componentes, mas sua essência continua a mesma.

As Folias de Reis, também conhecidas como Santos-Reis, Terno de Reis ou Reisado, acontecem sempre à noite. São formadas por grupos de músicos, cantadores e dançadores que vão de porta em porta anunciar a chegada do Messias e homenagear os três Reis Magos, fazendo louvações aos donos da casa.

O motivo é sempre religioso, referente à Natividade, com os Reis Magos e os pastores a caminho de Belém. Nessas andanças, percorrem sítios e fazendas e no perímetro urbano. Tocam, cantam, acompanhados de seus instrumentos musicais (violões, cavaquinho, pandeiro, gaita, reco-reco, triângulo e tambor) à porta das casas, despertando os moradores para atendê-los. Aí, dançam, cantam ao som dos instrumentos e das vozes dos componentes. Têm versos próprios para pedir, agradecer e retirar-se, fazendo as despedidas.

A coreografia é variada e a indumentária é bastante colorida. Ao final da apresentação, recebem comida, bebida e ofertas dadas pelo anfitrião, depois vão cantar em outra casa.

 CANTIGAS DO REISADO:

“Janeiro vai, janeiro vem, Feliz daquele/A que Deus quer bem! […]”.

“Meia-noite em ponto/Bateu asa e cantou o galo/Bateu asa e cantou o galo…”

“Que Jesus dê vida e saúde/Só voltamos para o ano/Só voltamos para o ano…”.

 

Ó di casa, ó di fora/Qui hora tão excelente/É o glorioso Santo Reis/Qui é vem do Oriente

Ó de casa, ó de casa/Alegra esse moradô/Que o glorioso Santo Reis/Na sua porta chegô

Aqui está Santo Reis/Meia-noite foras Dora/Procurou vossa morada/Pedino sua ismola

Santo Reis e Nossa Senhora/Foi passeá em Belém/São José pediu ismola/Santo Reis pede também

A ismola que vóis dá/Nois viemo arrecebê/O glorioso Santo Reis/É quem vai agradecê

Santo Reis pede ismola/Não é ouro nem dinhero/Ele pede um agitoru/Um alimento pros festero

Sôr dono da casa/Vem abri as portaria/ Recebê Santo Reis/Com sua nobre folia

Sôr dono da casa/Alevanta e cende a luz/Vem a ver Santo Reis/O retrato de Jesus

Paremo na sua porta/Com oro na balança/Aqui tamo a sua espera/Da sua determinança

Deus te sarve casa nobre/Nos seus posto tão honrado /Ande mora gente nobre/Que de Deus é visitado

Deus o sarve a luz do dia/Deus o sarve a claridade/Deus o sarve as três pessoa/Da Santíssima Trindade

Deus o sarve as três pessoa/Com a sua santidade/É três pessoa divina/Aonde nasce a divindade

O sinal da Santa Cruz/É principo de oração/É o principo desse canto/Desta rica invocação

Deus te sarve oratóro/É coluna que Deus fez/Hoje tá visitado/Do glorioso santo Reis

Deus te sarve oratóro/Cum todo seus ornamento/Deus te sarve as estampinha/E as image que estão dentro

Deus te sarve as image/As pequena e as maió/Numa rica divindade/Sincerra em uma só

Sôr dono da casa/Alegra seu coração/Arreceba santo Reis/Com todo seus folião

Santo Reis desceu do céu/Cortano vento nas asa/Vei pedi um agasaio/Para o dono desta casa

Santo Reis e vem girano/Cançadim do trabaio/Procurô vossa morada/Pra pedi um agasaio

Santo Reis veio voano/Nos are fez um remanso/Procurô sua morada/Pra fazê o seu descanso

Sôr dono da casa/Muito alegre deve está/Do glorioso Santo Reis/Hoje vei lhe avisitá

Concluímo este canto/Fazeno o siná da cruz/Pade, Fio, Esprito Santo/Para sempre, amém Jesus

Santos Reis vai despedindo/Deixando muita saudade./Vai deixando muita bênção/Pro povo desta cidade.”

Loas de Natal e Reis: (Norte do Brasil)

Ô! De casa, nobre gente/Escutai e ouvireis/Lá das bandas do Oriente/São chegados os três Reis Baltazar, Belchior e Gaspar/Vieram lá do Oriente/Adorar o Deus Menino/A Jesus onipotente

O primeiro trouxe ouro/Para o seu trono dourar/O segundo trouxe incenso/Para o Menino incensar

O terceiro trouxe mirra/Por saber que era imortal

Abri a porta/Se quereis abrir

Que somos de longe/Queremos nos ir.

Em Brumado a Secretária de Educação, fazia concurso de Terno de Reis, com premiações aos vencedores, infelizmente não mais existe. Contudo as comemorações de Reis continuam vivas, principalmente nas comunidades brumadenses.

PESQUISAS:

Bíblia Sagrada, Novo Testamento Matheus 2.1-12;

Dicionário do Folclore Brasileiro (Luiz da Câmara Cascudo);

Sitewww.portalsaofrancisco.com.br;

Internet (diversos sites).

Antônio Novais Torres

Antônio Novais Torres é comerciante aposentado, membro fundador da Academia de Letras e Artes de Brumado, membro do Conselho da Cidadania de Brumado, ex-membro do PMDB e PTB e membro do Conselho Editorial do Jornal do Sudoeste.
Categorias

Deixe seu comentário