Diante da dificuldade, de onde vem a redenção?

Na nossa vida, nós topamos com limites. Não podemos fazer tudo, conseguir tudo, resolver todos os problemas como a gente pensa. E assim, nos sentimos sufocados pendências a fazer; livres, mas ao mesmo tempo dependentes de outros e exigidos pelas situações. Nos vemos presos diante de muitas situações, de diversas circunstâncias que fogem do nosso controle. Esse cenário se estende sobre a nossa vida como que nos encobrindo por sombras poderosas e só conseguimos nos livrar delas com muita dificuldade. Apesar dos esforços que fazemos, também nos culpamos por muitas coisas, acabamos ficando doentes, somos acometidos por medos, dúvidas, sentimentos depressivos.

Em tudo isso, desejamos sempre a liberdade, a superação, a realidade redentora. Desejamos a redenção de tudo isso e aqui, exatamente, entra o sentido da palavra redenção. O que é redenção? Quem nos liberta desse peso? A questão decisiva é como nós entendemos e experimentamos a redenção. Como cristãos entendemos, às vezes, a redenção no sentido de salvação, ou seja, acreditamos que vamos ser salvos depois da morte, vamos para o céu, e essa seria a redenção. O olhar para a bíblia mostra outra coisa. A redenção começa aqui. Na história de Jesus se conta que ele veio para nos redimir, salvar e curar. Ele curou enfermos, endireitou curvados, perdoou os pecados dos pecadores e deu às pessoas desanimadas nova disposição e coragem de viver.

Isso mostra que nós experimentamos a redenção aqui e agora, em nossa vida, mas a redenção inclui também a morte. Saber disso é uma realidade terapêutica e libertadora. Jesus não veio só para que nossa situação melhorasse aqui e nem só para dar o céu. Redenção é para toda a vida, incluindo vida e morte. Também na morte não somos deixados sós, mas junto com Ele atravessamos a porta para a vida eterna. Ele nos precedeu em sua morte para tirar de nós o medo da morte.

Padre Ezequiel Dal Pozzo

Padre Ezequiel Dal Pozzo

Categorias