Dilma esperneia na ONU

A presidente Dilma Rousseff pensa que pode mais para peitar Obama. Discurso inflamado na ONU não passa de bravata surrada de petista tentando intimidar leões. E o que também não dizer de uma junta de parlamentares brasileiros, ansiosa pelas luzes da ribalta para apurar não sei o quê e cujo resultado não chegará a lugar nenhum senão gastar em passeios o dinheiro da nação?

Fato gravíssimo é o Brasil miserável, solapado por corrupção política, por parlamentares que se beneficiam de muitas mordomias e não procuram combatê-las. Por exemplo, os senadores brasileiros, ex-senadores e familiares – escandalosamente – conspurcam a seriedade do Parlamento ao usar, de forma gratuita e perene, serviços médicos e hospitalares do Senado, enquanto as demais camadas pobres sociais não têm esse privilégio e morrem nas filas dos hospitais públicos. O que significa dizer que o dinheiro do contribuinte, em vez de ser aplicado no social, vai diretamente para beneficiar senadores inescrupulosos.

A CPI da espionagem é mais uma pizza em decomposição. São horas de trabalhos e viagens em vão, pagas pelos contribuintes. A CPI é apenas para satisfazer o ego de parlamentares parlapatões, que não sabem o que fazer no Congresso. Agora os jacobeus, hipócritas e fariseus querem mostrar serviços como resposta aos gritos revoltados dos jovens no mês de junho, que exprobraram a incompetência desse bando de parlamentares que só dão despesas à nação.
Será que a comissão vai convocar o presidente Obama para dar explicações? É muita perda de tempo com estapafúrdia CPI. Vão procurar o que fazer de útil ao país, para justificar a continuação do macróbio Senado Federal.

Há poucos meses os jovens saíram às ruas para reprochar, entre outras coisas, a inoperância do inchado Congresso Nacional. Agora, os moucos senadores se lançam numa jornada estabanada em torno de um grande besteirol com comportamentos quixotescos, tentando combater moinhos de ventos. Para isso, o PT e os chaleiristas do governo não desperdiçam os holofotes da propaganda eleitoral da presidência da República.

Por outro lado, a presidente da República até que está gostando desse negócio de espionagem no Brasil. Só assim ela bufa nacionalismo para tentar recuperar pontos nas pesquisas de seu governo. Ademais, é uma baita idiotice tentar arrostar os EUA. Somente os insipientes ignoram os estratagemas das grandes potências. Ou os iluminados senadores e a presidente Dilma Rousseff pensam que a quantidade de satélites das grandes potências perambula na órbita terrestre apenas em missão científica? A presidente e o seu séquito senatorial podem espernear sentados porque os EUA não vão mudar a sua forma de agir no mundo.

 

Júlio César Cardoso

Júlio César Cardoso

Bacharel em Direito e servidor federal aposentado. Balneário Camboriú-Santa Catarina.
Categorias