Disciplina e resiliência são as chaves para se formar campeões, diz Bernardinho

Receita foi apresentada durante o 9° Fórum Liberdade e Democracia promovido pelo Instituto de Formação de Líderes de São Paulo (IFL-SP)

Por: Renata Castro

SÃO PAULO, 19 de agosto – O técnico de vôlei, economista e empresário Bernardinho afirmou que o grande líder é aquele capaz de extrair o potencial total das pessoas tanto no mundo corporativo quanto nos esportes, estimulando disciplina e resiliência. A afirmação foi feita durante o 9° Fórum Liberdade e Democracia, promovido pelo Instituto de Formação de Líderes de São Paulo  (IFL-SP).

“Eu, como líder, sempre busquei estimular as pessoas que estavam do meu lado a atingir o  máximo de seu potencial. E é preciso ser transparente em todas etapas do processo para saber os detalhes da jornada”, disse durante o painel “Como se tornar um campeão: a combinação de habilidades que contribuem para vencer em ambientes adversos”.

Bernardinho aproveitou também para revelar os dois atributos que ele acredita serem necessários para qualquer pessoa que busque atingir o máximo de seu potencial. “É disciplina e resiliência. A disciplina é importante porque muitos jovens têm grande dificuldade de abrir mão das coisas, procrastinam e não se interessam pelo processo. E resiliência é relevante porque é preciso saber se recompor diante de adversidades e não se vitimizar”, explicou o técnico.

O multicampeão olímpico e iatista Torben Grael, que dividiu o painel ao lado de Bernardinho, disse serem grandes as adversidades que impedem as pessoas de serem bem-sucedidas em suas áreas. “Uma carreira de sucesso é construída fazendo a renúncia de muitas coisas. E isso é muito difícil porque as distrações são cada vez maiores e impedem as pessoas de atingirem o potencial total”, sentenciou ele que tem na carreira cinco medalhas em seis participações nos Jogos Olímpicos.

Para Bernardinho, o processo de forjar grandes profissionais passa, sobretudo, pelo empenho pessoal de cada um. “O empenho de cada um e a capacidade de superação são realmente os diferenciais no processo de formação”, afirmou.

Já o ultramaratonista na Antártica Bernardo Fonseca, também integrante do painel, destacou que busca carregar o exemplo do esporte para o mundo corporativo. “O mundo corporativo pede pessoas resilientes e insistentes. Precisamos entender as necessidades e inspirar as pessoas. E os que mais se destacam são as pessoas mais comprometidas, que entregam resultado em qualquer ambiente, mesmo em adversidades”, definiu Fonseca.

O Fórum Liberdade e Democracia é realizado desde 2010 pelo IFL-SP, entidade sem fins lucrativos que tem como objetivo formar líderes com base nos valores de Liberdade Individual, Livre Mercado, Império da Lei e respeito à Propriedade Privada.

 

 

Foto de Capa: Divulgação

Jornal do Sudoeste

Os comentários são de responsabilidade de seus autores.

Deixe seu comentário

Categorias ,