Educação Empreendedora ressignifica papel do professor dentro e fora da escola

No Dia do Professor, Sebrae conta histórias de professores que transformaram o ambiente escolar com atitudes empreendedoras

Por: Sebrae

A bióloga Daiane Ronchi, de 35 anos, jamais pensou em ser professora em Pomerode, Santa Catarina. Após terminar a faculdade, ela seguiu com uma pós-graduação e mestrado, quando surgiu a oportunidade de um concurso para ser professor na cidade. “Na época eu morava em Blumenau e resolvi fazer a prova como uma possibilidade de trabalho por um tempo antes de seguir com os estudos do doutorado”, contou. O que ela não imaginava é que se apaixonaria por dar aula para os alunos do 6º ao 9º ano de uma escola pública.

Há sete anos como professora, ela encontrou na Educação Empreendedora um caminho para aproveitar todo o conhecimento que adquiriu com a experiência acadêmica dentro da sala de aula. Com o uso da metodologia do programa Jovens Empreendedores Primeiros Passos (JEPP), do Sebrae, ela possibilitou que meninos e meninas do Ensino Fundamental desenvolvessem habilidades e competências empreendedoras durante as aulas de Ciências.

Junto com seus alunos, desenvolveu o projeto Bionatural Composteiras, para tratar da destinação adequada dos resíduos produzidos pelos seres humanos. A iniciativa foi um sucesso na escola e, em 2019, o projeto ficou em 3º lugar na categoria Ensino Fundamental do Prêmio Sebrae de Educação Empreendedora. “A minha intenção sempre foi fazer dos alunos seres pensantes e não seres replicantes. Então, eu comecei a aplicar tudo que eu tinha na minha vida de iniciação científica, de projetos e explorar não só o currículo base” explicou.

Transformada pela Educação Empreendedora
Já no município de Cabeceiras, no interior da Paraíba, conhecido como “Roliúde Nordestina”, a pedagoga Juliana Soares sempre estudou e lecionou na zona rural. Filha de uma professora e de um agricultor, ela aprendeu desde cedo o valor da Educação. “Eu sempre quis inspirar meus alunos a acreditarem que eles podem conquistar seus sonhos e persistir com firmeza”, comentou.

Como mulher, nordestina e escritora de poesia de Cordel, ela encontrou na Educação Empreendedora uma oportunidade de transformar sua própria vida e a de seus alunos. “No começo eu resisti muito em participar da formação de professores para aplicar a metodologia do JEPP, pois na minha cabeça, empreender era vender”, disse.

No entanto, para a surpresa dela, a Educação Empreendedora proposta pelo Sebrae iria muito além de abrir um negócio. “Acabei sendo surpreenddida, pois já na segunda aula, percebi que eu poderia comunicar muita coisa. Tudo mundo e trouxe a possibilidade de mostrar para os meus alunos o que eles têm de melhor”, lembrou. Conheça mais sobre a história da professora Juliana Sores, clicando aqui.

Saiba Mais
O Sebrae acredita na Educação Empreendedora e há 47 anos promove a temática dentro das salas de aula de todo o país. O Programa de Educação Empreendedora desenvolve o empreendedorismo como um projeto de vida, a partir de conhecimentos de assuntos como cooperação, pensamento crítico, comunicação, entre outros. Já são mais de 7 milhões de estudantes atendidos e 270 mil professores capacitados e presença mais de 4,5 mil municípios brasileiros. Para fazer parte deste movimento, acesse aqui o endereço eletrônico.

 

 

Foto de Capa: Reprodução Internet

Jornal do Sudoeste

Os comentários são de responsabilidade de seus autores.

Deixe seu comentário

Categorias ,