Federação Nacional das Empresas de Rádio e Televisão repudia pedido de quebra de sigilo bancário de veículo de comunicação por relator da CPI da Covid

Da Redação

 

Nesta segunda-feira (02), a Federação Nacional das Empresas de Rádio e Televisão (Fenaert) emitiu uma Nota de Repúdio sobre o pedido de quebra de sigilo bancário de veículos de comunicação, entre eles a Rádio Jovem Pan, por integrantes da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga supostas omissões e irregularidades nas ações do Governo Federal durante a pandemia do Novo Coronavírus (Covid-19) no Brasil, sob a acusação de divulgação de notícias falsas em meio à pandemia.

O relator da CPI da Covid, senador Renan Calheiros (MDB-AL), apresentou, na sexta-feira (30), requerimento para a quebra de sigilo de dados bancários da Rádio Jovem Pan. De acordo com o senador, o grupo Jovem Pan, que controla a Rádio, é “grande disseminador de fake news” e, por isso, a quebra de sigilo se justificaria.

Na Nota, a Federação Nacional das Empresas de Rádio e Televisão diz que a quebra de sigilo bancário da Rádio Jovem Pan, partindo dos senadores da CPI da Pandemia, não tem embasamentos concretos que possam ser justificados, acrescentando que qualquer ameaça ao trabalho dos veículos de imprensa não será tolerada, pois afronta um dos pilares da Constituição Federal, que é a liberdade de expressão.

Confira a Nota de Repúdio da Fenaert na íntegra:

“A Federação Nacional das Empresas de Rádio e Televisão – FENAERT, se une à Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (ABERT) e repudia, de forma veemente, o pedido de quebra de sigilo bancário da Rádio Jovem Pan, feito por integrantes da CPI da Pandemia na última sexta-feira (30), sob a alegação de que a emissora estaria difundindo notícias falsas em meio à pandemia de Covid-19.

A Fenaert se solidariza com a Jovem Pan que, em seus quase 80 anos de história, se tornou e continua sendo uma referência ao público brasileiro com seu jornalismo independente e de qualidade, cumprindo o seu dever de informar fatos que sejam importantes e de interesse público. Tal iniciativa, da quebra de sigilo bancário, partindo dos senadores da CPI da Pandemia, não tem embasamentos concretos que possam ser justificados de forma alguma.

A CPI tem como objetivo apontar as falhas e eventuais omissões do governo federal no combate à pandemia do coronavírus no país e qualquer ameaça ao trabalho dos veículos de imprensa não será tolerada, pois trata-se de uma afronta a um dos principais direitos garantidos pela Constituição Federal, que é a liberdade de expressão.”

 

Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado.

Jornal do Sudoeste

Os comentários são de responsabilidade de seus autores.

Deixe seu comentário

Categorias ,