Governo monta força-tarefa interministerial para ampliar a banda larga no Brasil

Ministérios estudam formas de identificar quais são as áreas prioritárias

 

O governo federal comunicou, por meio do Diário Oficial da União no dia 11 de novembro de 2020, o desejo de expandir a rede internet banda larga por entre as mais de 5500 cidades brasileiras. Segundo o Ministério das Comunicações (MCom), a principal meta do governo federal é tornar todas as regiões do país conectadas à redes de internet e, para cumprir o objetivo, será criado um esforço interministerial para identificar quais são os locais que mais precisam de atenção e infraestrutura no momento. De acordo com dados divulgados pela Agência Nacional de Telecomunicações, foram identificadas ainda cerca 15.469 áreas sem acesso a conexões como 4G e internet banda larga, no ranking da agência, a Vivo Internet é a operadora com a maior área de cobertura atualmente.

Em entrevista concedida à imprensa, o secretário executivo do MCom, Vitor Menezes, afirmou que o governo planeja criar a “rota da banda larga para que a internet rápida chegue aos lugares que precisam e que ainda não têm acesso e para isso contamos com a ajuda dos ministérios parceiros para que esses lugares sejam identificados o mais rápido possível”, e que esse projeto é crucial para que as atividades econômicas, bem como também a produtividade de setores como turismo e agronegócio continuem se expandindo. “Imagine o seguinte: as áreas rurais são responsáveis por cerca de 25% do PIB, com um custo grande de insumos. Se conseguirmos criar modelos produtivos mais eficientes – e para isso a internet e a tecnologia são indispensáveis – conseguimos conectar áreas isoladas ao mesmo tempo em que fomentamos o avanço econômico”, explica.

Segundo a pasta, a força-tarefa que ficará responsável pela estruturação do Plano Geral de Metas de Universalização da Anatel será composta pelo Ministério da Educação, que terá como objetivo ampliar a conectividade de escolas, universidades e demais instituições de ensino público, terá também a ajuda do Ministério da Infraestrutura, cuja ocupação se dará na criação de sistemas e corredores prioritários de logística para levar a tecnologia para áreas remotas e isoladas; a principal contribuição do Ministério da Saúde será ajudar na viabilização de internet banda larga para hospitais, unidades de saúde familiar e outros estabelecimentos ligados ao ministério e, segundo Menezes, o MCom também contará com a ajuda do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

O governo pretende conectar também os assentamentos rurais e áreas agrícolas que, segundo estimativas da Anatel, apenas 800 das 7645 áreas rurais recebam o sinal do 4G. Por fim, o Ministério do Turismo planeja ampliar também a cobertura e a velocidade de conexão, de maneira que ela se torne ainda mais confiável e abrangente para os diversos pontos turísticos brasileiros que acabam ficando longe de grandes centros urbanos. Internet com boa velocidade é que o muitos brasileiros precisam para estudarem e trabalharem. O Melhor Escolha, comparador de planos de internet, tem uma ferramenta chamada speed test, que mede a velocidade da internet contratada, a fim de elevar a qualidade do setor no Brasil.

Foto de Capa: Pixabay.

Jornal do Sudoeste

Categorias ,