Hortoterapia é alternativa no tratamento de transtorno mental

Método não se restringe a jardinagem e conecta mente e corpo, ajudando no controle da ansiedade e no bem estar em geral, explica psiquiatra da Revitalis

Por: Beatriz Bradley Moreira

São Paulo, agosto de 2022 – O estresse e a ansiedade estão muito presentes na vida das pessoas hoje e podem ser muito prejudiciais, principalmente para a saúde mental. De acordo com estudo recente realizado pela Isma-BR (Associação Internacional de Gerenciamento de Estresse Brasil), 70% da população ativa do Brasil já apresentou ou apresenta sintomas de estresse. A boa notícia é que existem muitas formas de controlar esse problema, e uma delas é a hortoterapia.

De acordo com o Dr. Sergio Rocha, médico psiquiatra e diretor da Clínica Revitalis, a hortoterapia, em junção ao apoio médico, pode ser considerada uma boa alternativa para tratar complicações mentais. “O ato de cuidar de plantas traz muitos benefícios para a saúde mental, mas é importante pontuar que isso não exclui a necessidade de acompanhamento médico, ainda mais em casos graves”, explica.

A prática dos cuidados com a horta é saudável, indicada para todas as idades e para todos os tipos de pessoas, até mesmo aquelas que não apresentam nenhum tipo de transtorno mental. “Os benefícios são inúmeros, além de ser uma atividade acessível e barata quando comparada a outros métodos terapêuticos”, diz ele.

Pensando nisso, o Dr. Sérgio listou benefícios desta atividade simples, porém poderosa para a saúde mental:

Estimulando a paciência

Paciência é uma virtude que nem todas as pessoas possuem, e praticá-la é aprender a controlar também a ansiedade e o estresse. A hortoterapia é importante para a formação de uma postura de autoconhecimento, pois para qualquer planta crescer, há processos que não podem ser ultrapassados. É preciso esperar, logo, podemos ajudar na reestruturação da percepção de passagem de tempo dos pacientes, o que é ótimo para controle de impulsos e regulação de ansiedade.”, diz o Dr. Rocha.

Integração social

Assim como diversas atividades, a hortoterapia ajuda na integração social, algo extremamente importante para a saúde mental, já que estar com pessoas e se comunicar é uma forma de cuidar dessa questão. “Tanto que, quando a pessoa se isola, tem mais tendência a sofrer com transtornos como ansiedade e depressão”, exemplifica o médico.

Os seres humanos são sociais por natureza e precisam estar inseridos em um grupo. “Nos juntamos com pessoas que possuem ideais em comum com os nossos. Há muitos amantes de plantas, desde comunidades em redes sociais, workshops e até congressos sobre o mundo que as envolve”, explica o psiquiatra.

“Quando um indivíduo começa o hábito da hortoterapia e se interessa por ele, irá encontrar pessoas com seus mesmos interesses, o que gera um processo de socialização”, completa ele.

Promoção da atividade física

A prática de atividade física tem ligação direta com a saúde mental. Sabe-se que fazer exercícios é uma ótima forma de prevenir transtornos psiquiátricos, além de fazer bem para a saúde de uma forma geral. “A hortoterapia melhora a coordenação de todos que se utilizam do método, como também aperfeiçoa suas habilidades motoras. O contato com a natureza evolui, também, a imunidade física e reduz a frequência cardíaca”, explica o Dr. Rocha.

Isso significa que podemos incluir a hortoterapia como uma atividade física, afinal, quando falamos em exercício físico, estamos nos referindo a atividades que vão além dos esportes de alta performance.

Estímulo da mente

A partir do momento em que o indivíduo acompanha os processos naturais das plantas, começa a exercitar o cérebro de modo que a mente não estagne. Para pessoas ansiosas, por exemplo, a hortoterapia ocupa a cabeça quando substitui pensamentos dolorosos por questões da natureza, como o desenvolvimento de projetos verdes.

“Além disso, ao adentrar no cenário da hidroterapia, novos conceitos e ensinamentos serão desbloqueados. Esse tipo de cuidado é um aprendizado em diversas áreas”, finaliza o médico psiquiatra.

Sobre a Clínica Revitalis

Fundada em 2013 , no Rio de Janeiro, mais precisamente na reserva biológica de Araras-Petrópolis, no Rio de Janeiro, a clínica conta com 82 leitos de internação e preza pela excelência no que se refere ao tratamento de saúde mental. Em 2017, abriu uma filial em Botafogo, na capital fluminense. Atualmente é referência no tratamento em saúde mental para o público infanto-juvenil. Entre os serviços ofertados pela clínica estão a internação, o Hospital-Dia, o ambulatório e a eletroconvulsoterapia (ECT). A clínica busca oferecer uma solução completa em saúde mental focando a excelência no tratamento através da combinação de valores humanos e competência técnica.

Sobre o Dr. Sérgio Rocha

Médico especialista em Psiquiatria, fez residência médica pela Marinha em 2006. Em 2007 fez pós graduação latu sensu em Psiquiatria pela PUC-Rio, sendo convidado em 2009 para ser professor de psicofarmacologia e coordenador da pós-graduação em Psiquiatria da PUC-Rio, atuando assim até 2017. Também é mestre em Neurociências pela IAEU, BAR — Espanha (2015), especialista em Dependência Química pela UNIFESP (2017) e pós graduado em Psicopatologia Fenomenologica pela Santa Case de São Paulo (2019). Atuou na Clínica Revitalis como Diretor Técnico desde sua fundação em 2013.

 

 

 

Foto de Capa: Canva

Jornal do Sudoeste

Os comentários são de responsabilidade de seus autores.

Deixe seu comentário

Categorias ,