Inteligência artificial é um futuro certo nas cidades, principalmente com a chegada do 5G

É o que afirma o presidente da Frente Parlamentar Mista da Inteligência Artificial, o deputado federal Eduardo Bismarck (PDT-CE). O parlamentar acredita que o papel do Congresso Nacional é debater IA e as relações com as máquinas no futuro

 

Por: Luciano Marques/Agência Brasil 61 

 

Inteligência artificial é um futuro certo nas cidades, principalmente com a chegada do 5G. É o que afirma o presidente da Frente Parlamentar Mista da Inteligência Artificial, o deputado federal Eduardo Bismarck (PDT-CE). O parlamentar acredita que o papel do Congresso Nacional é debater não só a inteligência artificial, mas tudo aquilo que engloba as nossas relações com as máquinas no futuro, sempre visando uma melhor gestão.

“Nós temos que usar a tecnologia a favor da nossa sociedade, e é aí que as gestões municipais e estaduais, mas principalmente as municipais, interagem com essa nova ferramenta, com essa nova tecnologia”, aponta Bismark. “É um processo acelerado que estamos vivendo e que se acelerou muito mais na pandemia. Como podemos dialogar, debater, usufruir e melhorar a vida das pessoas, das cidades, na ponta? Como podemos fazer isso? Esse é o grande debate e a grande interrogação e reflexão.”

Essas questões foram debatidas na última quarta-feira (1º), em evento realizado na Câmara dos Deputados, por meio da Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática, em parceria com a Frente Parlamentar Mista da Inteligência Artificial. O seminário Gestão Inteligente, Cidades Digitais foi direcionado a prefeitos, vereadores, secretários, gestores e atuantes da área.

O evento contou com a presença do presidente da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), Igor Calvet, que falou sobre os dez projetos de cidades digitais desenvolvidas em dez localidades do país.

Especialistas da Fundação Getúlio Vargas, que apresentaram a Plataforma FGV Municípios, debateram a importância da transformação digital e do uso da inteligência artificial na gestão pública dos municípios. O projeto da FGV tem o objetivo de levar aos gestores informações qualificadas que podem gerar diagnósticos precisos e, por consequência, levar a um plano de ação específico nos mais diversos setores.

PL 21/2020

O PL 21/2020, de autoria do deputado federal Eduardo Bismarck (PDT-CE), busca ser uma ferramenta de inclusão da tecnologia nas cidades. O texto estabelece fundamentos, princípios e diretrizes para o desenvolvimento e a aplicação da inteligência artificial nos municípios brasileiros. O Grupo de Trabalho que elabora o Marco Legal da Inteligência Artificial é composto por 15 juristas.

 

Foto da capa: Divulgação/Igor Sobral/Prefeitura de Pelotas-RS

Jornal do Sudoeste

Os comentários são de responsabilidade de seus autores.

Deixe seu comentário

Categorias ,