MULTIVACINAÇÃO: Tem início a Campanha Nacional de Vacinação

Voltada para crianças e adolescentes menores de 15 anos, a Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e de Multivacinação ocorrerá em cerca de 40 mil postos de vacinação em todo País. A intenção é manter o controle de doenças imunopreveníveis e atualizar as Cadernetas de Vacinação das crianças e adolescentes

Por: Agência Brasil 61

Os pais e responsáveis de bebês, crianças e adolescentes menores de 15 anos de idade devem ficar atentos: a Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e de Multivacinação deste ano já começou. Ao todo, a mobilização vai envolver cerca de 40 mil postos de vacinação do SUS em todo País.

Para multivacinação, a intenção é proteger a população e aumentar a cobertura vacinal contra doenças que podem ser evitadas por vacinas – e atualizar a Caderneta de Vacinação. Para a campanha de poliomielite, a intenção é proteger a população menor de cinco anos de idade contra a paralisia infantil. O documento comprova a situação vacinal e, para gestores, é uma ferramenta de grande importância para o acompanhamento da saúde infantil.

Os postos vão ofertar as vacinas do Calendário Nacional de Vacinação, do Programa Nacional de Imunizações, o PNI. Além da proteção contra a Poliomielite, serão administradas vacinas contra doenças como o Sarampo, Caxumba, Rubéola, Hepatite A, Febre amarela e HPV.
Ligiane, pede aos pais que façam parte dessa mobilização e levem os filhos para vacinar.

“Reforço essa necessidade de busca, principalmente, durante todo o calendário de rotina vacinal da criança e do adolescente. É importante frisar também que é uma questão de saúde pública. Pois o sarampo, meningite,caxumba, dentre outras doenças afetam muito a saúde desses grupos etários  que também são importantes transmissores dessas doenças.”

Para gestores e especialistas em saúde, é preciso proteger a população e impedir quedas da cobertura vacinal infantil. E reforçam: baixas coberturas  de vacinação favorecem o ressurgimento de doenças já eliminadas, a exemplo do que ocorreu com o Sarampo.
Ethel explica mais:

“Estávamos sem casos de Sarampo no Brasil e voltou a circular. Com a circulação do vírus, tivemos casos nos últimos anos, inclusive óbitos – o que é algo muito grave. É fundamental termos altas coberturas vacinais, o que significa atingirmos um percentual grande da população para faixa etária indicada para cada vacina. Em geral, a meta de vacinação está entre 90 e 95% do público-alvo a ser vacinado.”

Para vacinar as crianças e adolescentes, compareça a um Posto de Vacinação com a Caderneta de Vacinação em mãos.

Para mais informações, acesse o site: www.gov.br/multivacinacao.

 

 

Foto de Capa: José Cruz/Agência Brasil

Jornal do Sudoeste

Os comentários são de responsabilidade de seus autores.

Deixe seu comentário

Categorias ,