O MASSACRE DO DINHEIRO PÚBLICO CONTRA O POVO DE ITORORÓ

110 PRÉ-CANDIDATOS a vereador só de um grupo, o PT de Itororó. Como cresceu esse menino, como bombou esse corpo. Os esteróides anabolizantes dos cofres públicos o tornaram gigante da noite para o dia. Dez partidos aliados compostos por uma alcateia de lobos vorazes, sedentos do dinheiro do povo e, todos acomodados nas tetas de uma prefeitura que jorra luz para uma minoria rica e trevas para a maioria pobre. A fonte geradora dessa luz é o nosso trabalho, uma fonte que nunca cessa. Torneiras abertas derramando um dinheiro que não acaba nunca. O povo se acaba, a fonte não.

 

Esse jorro de luz se dá pelas mãos de um governo impiedoso com o seu povo. Que cidade pequena do porte de Itororó pode aguentar o peso e o custo de manutenção de tantos atores sociais? Que civilização predatória e musculosa é esta, que pode se dar ao luxo de tantas algazarras financeiras? Onde tantas aves de rapina voam para ela, e ali, fazem seus ninhos e chocam seus ovos, tantos cabos eleitorais, tantas moscas de padaria pousando sobre o bolo do dinheiro público, tantos morcegos furando as veias desses pobres humanos, sugando o sangue dos inocentes, tanta indecência… Quando vós, cidadão de bem, pais de família, passarem com seus filhos, suas crianças, em frente a uma repartição pública, cuja gestão se assemelha a essa de Itororó, coloque uma venda nos olhos de suas crianças e tampe as suas narinas. Proteja seus filhos dessa moléstia infeliz.  

 

No governo do prefeito Adroaldo a luz da estrela do PT de Itororó atraiu um monte de insetos para o seu glorioso corpo, inchou de tal maneira o governo que a ilustração acima nos fará da conta de sua imagem real. Afastou o povo cada vez mais para a periferia, para ambientes escuros e invisíveis. Uma cidade como Itapetinga, quase quatro vezes maior que Itororó e os pré-candidatos do governo não passam de 50, em Itororó, o número de pré-candidatos passam de 100. É esse o governo do povo.  Dinheiro e perpetuação dos ricos no poder. É mole? E o que isso significa de verdade? Um massacre econômico da aristocracia de Adroaldo sobre a plebe.

 

Afora esse tanto de pré-candidatos, ainda tem aqueles que não são candidatos e que o apoia: Advogados mais de 10, fazendeiros, empresários, boa parte da maçonaria representada está ali, enfim a elite, os ricos de Itororó fazendo a ocupação do governo e o povo pobre cada vez mais afastado de suas repartições. Estes são o povo que o prefeito Adroaldo diz fazer um “governo para quem mais precisa”. Dá pra imaginar? Todo santo dia esse governo miserável batendo em sua porta, quando você não abre, ele, o governo, se valendo de suas “senvergonhices”, o que ele chama de prerrogativa de governo, ensinando as novas gerações que é assim que se faz política, moendo os pobres e tornando cada vez mais o governo um clube só de ricos e poderosos… Pois é, amigos, quando você resiste em abrir a sua porta, ele a empurra, força com o pé de cabra da ditadura econômica, isto é, do dinheiro público até você abrir e, quando você abre a porta tem um intermediário do governo, todo bem vestido, boa aparência, sorriso o que vai de orelha a orelha, parecendo um “manisquim” desses de vitrine de loja, um eleito pelo prefeito de Itororó para te vender a poção da felicidade.

 

Com uma mala preta na mão, o que já não é coisa que presta… Mala cheia de dinheiro e de promessas que fazem inveja a qualquer santo milagreiro dos bons, tudo isso para fazer um negócio com tua honra. “Tá dependendo de que meu irmãozinho para está com a gente?” O perfil do comprador de gente do governo é esse; o do cidadão que vai ser comprado é outro: Aquele que goza de alguma popularidade no bairro ou que já pertenceu aos grupos políticos de direita em Itororó, aquele que arrebanha alguns votos em família ou na comunidade, aquele que tem afeição por outra legenda que não seja a do prefeito e assim vai…  (O PSOL é diariamente assediado por eles, mas tem resistido bravamente). Estes agentes comprados com o dinheiro do povo, cabos eleitorais, servirão de mulas carregadoras de votos para descarregar nessa ou naquela legenda do prefeito e seus aliados, e geralmente essas pessoas tem mesmo esses votos para vender, e o tem, porque souberam capitalizar esses votos ao longo de sua vida como profissional da política para amealhar nesse importante momento, o momento das eleições.

 

É uma espécie de poupançazinha que eles fazem, porque sabem que vão sempre encontrar os figurões da política como o prefeito Adroaldo, que vão oferecer uma boa quantia de dinheiro para seu pequeno ou grande rebanho de votos, isto é, eles se especializaram em vender os votos de pessoas que às vezes nem eles mesmos as conhecem, e às vezes nem tem, enganando o comprador. (Caso raro também). Só você humilde e pacato cidadão eleitor, é que não ganha nada. O que você ganha é um serviço público ruim que faz com que você não tenha nenhum orgulho do seu prefeito, ao contrário, ele só te dá vergonha. Quando alguém pergunta se tu vai votar nele tu, é obrigado a dizer: Outro que vai votar nesse diabo de governo, não eu.

 Quanto à honra, Isso quando o cidadão a tem, e quando ele tem realmente, ele rejeita qualquer proposta indecente do prefeito, pois sabe ele, que a aceitação desse dinheiro, que não é um dinheiro lícito, vai faltar para a sua comunidade.

 

OUTRO PERFIL DE CIDADÃO COMPRADO: Quando “aquele cabra”, o todo falso moralista, aquele que finge que tem honra; cisca dum lado, cisca do outro, valorizando o passe e de olho na mala preta, se ela está mesmo recheada de “real” acompanhada de outras promessas de ocupação nas repartições do governo, isto é, emprego para uma irmã, bolsa de estudo para um filho em faculdade particular, aluguel de um carro pela Secretaria de educação que, ali sim, a gente pode desviar algum dinheiro que ninguém vai notar, tem-se o meio de legalizar a fraude e segue o governo.

 

Chamo de governo miserável, porque o governo de Itororó com esses gestos, gasta o dinheiro da prefeitura formando grupos de elite, comprando gente, dando mais musculatura aos inimigos do povo, tornando os mais ricos e mais dominadores do que antes, enriquecendo e dando oportunidades a quem sempre teve e gerando miséria para a maioria. O prefeito Adroaldo já deu o que tinha de dar, se é que já deu alguma coisa que não seja a experiência de um governo que jamais deverá se repetir na face da terra. Uma experiência que deve ser condenada por qualquer cristão, principalmente aquele que tem Jesus Cristo no coração, o Cristo que fez e faz sempre a opção preferencial pelos pobres e que não precisa ir muito longe para saber que não é nesse governo que Ele se faz presente. Aqui, a preferência é melhorar a vidas dos ricos e permanecer com eles no poder por longos e longos anos

 

Júlio César Cardoso

Júlio César Cardoso

Bacharel em Direito e servidor federal aposentado. Balneário Camboriú-Santa Catarina.
Categorias