77 3441-7081 — [email protected]

OBESIDADE E FOME!

A reunião de hoje, pleno domingo, além de se dedicar a comentar Jogos Olímpicos, não os jogos no momento mas o resultado que virá, sem dúvida, assim que as arenas ficarem vazias  o “big gim” pautou (ele gosta do termo) também a questão da FOME DE UM LADO e, do outro, parecendo contra censo, a OBESIDADE. A escassez de alimentos e daí a consequente FOME que se queira esconder campeia e até atenua “com má nutrição” é problema mundial. Aliás se de um lado há fome, corre em paralelo e de maneira assustadora pelas suas consequências um PROBLEMÃO: a obesidade, ou seja, é avassalador o número de “gordos”.

Se estarrece quando se detém nos números das estatísticas das organizações oficiais e sérias. Em cada grupo de dez crianças (10, repetimos) na faixa etária de no máximo cinco anos, são acometidas aqui e ali quer de fome ou obesidade. Em termos de NÚMEROS (FICAMOS PARALIZADOS…) Há 159 milhões de crianças que passam fome e paradoxalmente se registra 41 milhões obesas ou seja, gordinhas ou acima do peso. Tal situação além de atentar contra a qualidade de vida tem alto porque se investe – e o BRASIL é modelo – no sistema de saúde mas os resultados parece, descem por um ralo invisível. Se levar o prejuízo em termos mundiais “gordinhos” (obesos) levam a um prejuízo de espantar: DOIS TRILHõES DE DOLARES ANUALMENTE!!!

   Mas no Brasil vem lutando contra a fome de um lado e de outro contra a obesidade e aqui nos fixamos “nas crianças” – chama a atenção “o míope”. Há que pegar dados do Programa Mundial de Alimentos da ONU que revelam: número de brasileiros subnutridos caiu para menos de 5% até o momento, mas, em compensação, e isso é o que assusta, já que 54% dos brasileiros estão acima do peso considerado média mundial. Estamos cansados de programas de “Master chef” nos canais de televisão, que aliás parece “um modismo”. O que necessitamos? Necessitamos de mudanças de hábitos e uma orientação racional e objetiva visando reduzir já que acabar achamos impossível no momento o DESPERDICIO DE ALIMENTOS que embora não pareça é REAL. Desperdício de alimentos deve ser banido uma vez que hoje, segundo as estatísticas da ONU um TERÇO (Big Gim em letra maiúscula) DE TODA COMIDA PRODUZIDA É PERDIDA, JOGADA FORA:…

Aliás – chama a atenção o Robi o que se joga fora daria para alimentar toda a população do globo!!!

Não nos interessa alimentos de “máster chef” e sim comida barata, com qualidade, sendo variável em aspecto e gosto para que possamos dizer que um dos direitos do SER HUMANO está assegurado.

Há pois – diz “Big Gim” – um longo caminho a ser percorrido para se corrigir praticamente coisas antagônicas: de um lado a fome e do outro a obesidade que campeia na infância. Já dormimos muito. Temos que acordar e não apenas abrir os olhos.

Aurélio Rocha

Aurélio Rocha

AURÉLIO ROCHA É NATURAL DE “OLHOS D’ÁGUA DE DEOU”, BRUMADO, CRIADO EM PARAMIRIM; PROFESSOR TITULAR DA DISCIPLINA DE GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA DA FACULDADE DE MEDICINA DE ITAJUBÁ, MINAS GERAIS; JORNALISTA E AUTOR DO LIVRO “CRÔNICAS NÃO MÉDICAS”.
Categorias