Onde você se sente em casa?

Onde você se sente em casa? Essa pergunta é importante, pois nós temos uma necessidade muito grande de sentir-se em casa. Nós temos necessidade de um lar. Um lugar em que nós possamos estar com nossa família, com nosso amigo, com esposo, esposa, namorado, namorada… e sentir-se bem por estar aí. Nessa situação, se estamos vivendo num lar também estamos falando que nunca estamos sozinhos, que nos sentimos acolhidos, protegidos! Independentemente de estarmos bem ou não, o lar é onde deixamos o dia a dia para trás, de certa forma, e podemos ali esquecer um pouco nossas preocupações e nos sentir acolhidos com quem amamos. Nós podemos também imaginar a cena do final do dia, de muitos de nós, estamos indo para casa, enfim teremos paz. Após um dia exaustivo, o trabalho está feito, as crianças estão na cama, antes de encerrar o dia temos ainda um pouco de tempo para nós mesmos, aí podemos relaxar, nos acomodamos em nosso cantinho predileto, refletimos sobre Deus, sobre o mundo, lemos um livro, fazemos uma retrospectiva do dia, ou seja, temos tempo para nós mesmos e estamos voltados para nós mesmos.

Diante dessa cena, nós nos confrontamos também com Jesus e com a pergunta que os discípulos fazem a Ele: “Mestre, onde moras?” Traduzindo, poderíamos dizer, “Mestre, onde é teu lar?” E Jesus dá uma resposta: vinde e vede. Ele não responde com endereço, ao invés disso, Ele convida aqueles que os seguiam para o acompanhá-lo, para ver onde Ele mora. De certa forma, Ele os convida para uma excursão, seus acompanhantes descobrirão coisas surpreendentes, nenhuma mansão, nenhuma esposa nem família, em vez disso, sentenças como essa: não tenho onde repousar a cabeça.

A partir dessas duas cenas, do lar que imaginamos e do convite de Jesus, poderíamos nos perguntar: afinal, onde nos sentimos em casa? É muito importante você refletir sobre isso, porque todos nós precisamos de um lar, de um aconchego, e se esse lugar não é a sua casa, onde você se sente absolutamente acolhido? Jesus tinha como lar o Pai, por isso Ele o chamava carinhosamente de Abá, que significa “paizinho”. O nosso coração deseja esse lar, essa acolhida. Por isso a pergunta que permanece hoje é esta: nós temos de verdade um lar para descansar? Pensemos nisso.

Padre Ezequiel Dal Pozzo

Categorias

Deixe seu comentário