Plano Safra 2023: serão destinados R$360 bilhões para o crédito rural

Os pequenos e médios produtores rurais serão priorizados pela Plano Safra no próximo ano. O incentivo aos produtores vão de financiamentos por cooperativas a apoios de inovação e tecnologia

Por: Daniela Gomes/Brasil 61

Uma das prioridades do Governo Federal no próximo ano será o incentivo de pequenos e médios produtores rurais, com o plano Safra. Segundo o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), serão destinados cerca de R$ 340,8 bilhões para apoiar a produção de produtos agrícolas nacionais durante o primeiro semestre de 2023. Em relação ao ano anterior, houve um aumento de 36%, nos recursos destinadas ao programa.

Desses recursos, serão destinados: 

  • R$ 53,61 bilhões para financiamento de pequeno produtor pelo Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf).
  • R$ 43,75 bilhões para o médio produtor no Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp).
  • R$ 243,4 bilhões para cooperativas e demais produtores.

As taxas de juros desses financiamentos são favoráveis e vão de 5% a 12% ao ano, respectivamente. A disponibilidade destes recursos também está ligada diretamente ao PIB da região. Com o financiamento do plano safra, a produção agrícola gera mais empregos e cria uma dinâmica na economia. O presidente da Sicoob, Antonio Mazurek, explica que para ter acesso às linhas de créditos, o produtor precisa ser cooperado de alguma organização. Além disso o dirigente também se mostra otimista com esse plano e diz que o clima deste ano favoreceu para uma boa colheita em 2023. “O plantio da safra que será colhida em 2023 já foi feito. O desenvolvimento das culturas está indo bem, graças ao clima com chuvas regulares. A expectativa de uma safra positiva em 2023 é alta”, enfatizou.e garantir o crédito necessário para o agricultor investir e custear a produção.

Outro destaque do plano safra de 2023 é o estímulo a sustentabilidade, com financiamento da recuperação de áreas degradadas e a implantação utilização de fontes de energia renovável.

Além do Programa para Construção e Ampliação de Armazéns (PCA), que financia investimentos necessários à ampliação e à construção de novos armazéns e a ampliação de inserção da pesca no crédito rural, com o fortalecimento do apoio à comercialização de produtos da pesca e da agricultura.

Plano safra

O plano safra é uma programa com o objetivo de financiar e garantir o crédito necessário para o pequeno e médio agricultor investir e custear a produção agrícola. Ele foi criado em 2003 e é lançado anualmente, tendo vigência de junho a julho do próximo ano. Em 2021, foram disponibilizados quase R$ 300 bilhões o que possibilitou o crescimento do plano cresceu em todas as regiões do país, mas a sua maior expansão foi na região norte, que teve 30% do dinheiro investidos em trabalhadores rurais. Como foi o caso da dona Ilda, que mora no interior de Minas Gerais e utilizou deste financiamento para fazer o seu negócio crescer. Ela conta que sempre viveu na roça e há alguns anos, além de investir em gados e suínos, resolveu dar inicio à plantação de milho. O plano safra foi um investimento importante para dar esse passo.

“Desde muito pequena eu tive contato com todo esse mundo, mas nunca me casei, então faltava coragem para iniciar algo novo. Depois que vi um dos meus sobrinhos mais velhos mexendo com plantações, achei que seria uma ótima oportunidade para continuar fazendo tudo crescer aqui. O financiamento foi essencial para conseguir pagar caseiros, funcionários e comprar os equipamentos. Ainda é muito pequeno, mas para quem não fazia nada, é ótimo”, explicou. si

Além de investimento e custeio, existem outras linhas de crédito disponíveis no plano Safra, sendo eles financiamentos com custos mais altos para empreendedores individuais.

Foto de capa: Aleksandarlittlewolf/Freepik

Jornal do Sudoeste

Os comentários são de responsabilidade de seus autores.

Deixe seu comentário

Categorias ,