Por que nascemos?

A pergunta por que nascemos é fundamental, bem como a clareza da resposta. Muitas vezes, as pessoas ficam confusas em relação à resposta. Por que eu nasci? Tem sentido viver e sofrer neste mundo? Eu não devia ter nascido, dizem alguns. A vida precisa se encontrar. Quando a pessoa não está encontrada, ela entra numa confusão e tem dificuldade de encontrar clareza de respostas e sentido para a vida. O entendimento dá muita qualidade à vida.

Nós estamos no mundo para conhecer e amar. Amar a nós mesmos, amar aos outros, amar a criação e amar a Deus.  A dinâmica da criação é do amor criador. Na medida em que faço o bem, estou de acordo com o impulso criador original. Fazer o bem é corresponder a vontade de Deus que me chamou à vida e um dia me acolherá no céu. Não amar é não corresponder à convocação primeira a qual nós fomos chamados.

Para termos uma vida realizada, o amor é fundamental. O amor nos dá a noção de que viemos de Deus e vamos para Deus. Viemos de mais longe do que de nossos pais. Deus nos quis, nos pensou e no amor nos gerou. Ele sustentou a nossa vida desde o primeiro momento e nunca retira esse apoio, até o último momento.

Na vida, nós podemos sentir a proximidade do criador e também, às vezes, podemos não sentir nada. A proximidade maior com Deus nós a temos no Filho Jesus, que nos revelou de modo insuperável o amor. Na radicalidade do amor de Jesus, sabemos também o que Deus quer de nós. Se Jesus só amou, então no amor nós encontramos vida, luz e salvação. E esse amor abre para o ser humano a eternidade, que supera também a morte. Pense nisso!

Padre Ezequiel Dal Pozzo

Padre Ezequiel Dal Pozzo

Categorias