Procurador-chefe do MPT na Bahia defende pacto para manter empregos

Por Assessoria de Comunicação Social do Ministério Público do Trabalho (MPT) na Bahia – 5ª Região
O procurador-chefe do Ministério Público do Trabalho (MPT) na Bahia, Luís Carneiro, defende um grande pacto social pela manutenção da empregabilidade do trabalhador. A iniciativa de conclamar a classe empresarial foi adotada durante evento virtual promovido pelo Grupo de Líderes Empresariais da Bahia (Lide) na tarde de ontem (14/04) e reafirmada em artigo publicado na edição de hoje do jornal A Tarde.
“A manutenção da empregabilidade deve ser perseguida por toda a sociedade. Esse é o desafio do empresário, empreendedor, do governo e é também desafio dos órgãos de controle, para que possamos somar esforços para de algum modo preservar a empregabilidade e a renda, porque preservando isso, estamos mantendo a dignidade da massa de trabalhadores da nossa nação. Para conseguirmos alcançar isso, é necessário antes de tudo o bom senso e o diálogo. Estamos em um momento em que esses elementos são fundamentais”, afirmou Luís Carneiro.
Além de Luís Carneiro, o debate promovido pelo Lide Bahia contou com a participação do juiz do trabalho Luciano Martinez, doutor em direito do trabalho e professor da Ufba; e da advogada Cyntia Possidio, vice-presidente do Instituto Baiano de Direito do Trabalho e especialista em direito tributário do Ibet.
“Demissões e encolhimento das remunerações são remédios que, em doses elevadas como as que já antevemos, tornam-se veneno para as próprias empresas. Gestor sábio é aquele que enxerga para além do horizonte. Devemos ter a certeza de que depois da tempestade virá a calmaria e que nela navegarão de vento em popa apenas aqueles que souberam levar a embarcação devagar, zelando pela proteção dos seus tripulantes”, defendeu Carneiro em artigo publicado hoje.
O chefe do MPT no estado destaca ainda que o órgão vem atuando em duas frentes neste momento atípico de extrema vulnerabilidade social. A primeira é com destinações de recursos para minimizar os impactos da pandemia.
A outra frente é a investigatória, com recebimento de denúncias trabalhistas, que aumentou demasiadamente nesse período.
Foto de Capa: Divulgação/ Ascom MPT Bahia.

Jornal do Sudoeste

Categorias ,