Saúde conclui envio de vacinas Covid-19 para imunizar a população adulta da Bahia com a primeira dose

A partir de agora, nova etapa da Campanha Nacional de Vacinação terá envio de vacinas para dose reforço e redução do intervalo entre as doses

Por: Ministério da Saúde

Milhões de brasileiros imunizados, milhares de profissionais de saúde trabalhando sem medir esforços, 38 mil salas de vacinação em todo país, em uma campanha de vacinação inédita no Brasil que chega a uma marca histórica. O Ministério da Saúde concluiu, nesta quarta-feira (15), o envio de imunizantes para vacinar, com a primeira dose, os mais de 158 milhões de brasileiros acima de 18 anos. Para garantir que toda a população adulta com mais de 18 anos seja vacinada com a primeira dose, a pasta envia mais 64,3 mil doses imunizantes da Pfizer/BioNTech para a Bahia.

Esse é o último lote com 1,1 milhão de doses de vacinas da Pfizer/BioNtech e fará o País alcançar essa importante meta. A conclusão da entrega será nesta quarta-feira (15). Com esta distribuição, o Brasil chega a mais de 265 milhões de doses enviadas às unidades federativas.

Cada um dos 26 aviões que partiram com as doses de esperança representam a conclusão desta fase da campanha. Nas últimas pautas de distribuição, o Ministério da Saúde ajustou a quantidade de vacinas distribuídas às unidades da Federação considerando a população acima de 18 anos que ainda não havia tomado a primeira dose.

Desde o início da campanha de vacinação, a Bahia já recebeu 18,4 milhões de doses de vacinas Covid-19 – mais de 13,5 milhões foram aplicadas. 

Próximos passos

Finalizada esta etapa, a partir de agora, será possível seguir com os próximos passos da campanha de vacinação. O Ministério da Saúde começa a enviar vacinas para imunizar adolescentes, entre 12 e 17 anos, com comorbidades.

Além disso, a pasta também começa o envio das doses para o reforço entre os grupos prioritários, preferencialmente com a vacina da Pfizer. O reforço para idosos acima de 70 anos deve ocorrer seis meses após a segunda dose ou a dose única e as pessoas imunossuprimidas devem respeitar o intervalo de 28 dias após a segunda dose ou dose única. A redução do intervalo da Pfizer, de 12 para 8 semanas, também está previsto a partir de agora.

Caso haja descumprimento das orientações do PNO, o Ministério da Saúde não pode garantir a distribuição de doses suficientes para completar o esquema vacinal de toda a população. Portanto, é essencial que as unidades federativas cumpram o que foi pactuado em reunião com representantes dos estados, municípios e Governo Federal.

 

 

 

 

Foto de Capa: Myke Sena/MS

Jornal do Sudoeste

Os comentários são de responsabilidade de seus autores.

Deixe seu comentário

Categorias ,