Saúde Mental do Município promove o Ato 18 de Maio pelo Dia Nacional Da Luta Antimanicomial

Na próxima quinta-feira, 18, a partir das 13h, a Coordenação de Saúde Mental e o Coletivo da Luta Antimanicomial de Vitória da Conquista vão realizar o Ato 18 de Maio – Dia Nacional Da Luta Antimanicomial. Com o lema  “Para Que Não Se Esqueça, Para Que Nunca Mais Aconteça”, o ato será na Praça Nove de Novembro, e contará com o apoio de instituições de ensino superior do município.

Várias atividades estão programadas para quem passar pelo local do evento, todas oferecidas pelos Serviços de Atenção à Saúde Mental do Município: CAPS II, CAPS III AD, CAPS IA, Consultório de Rua. Haverá também várias intervenções artísticas e culturais. A coordenadora da Saúde Mental do Município, Thayse Fernandes, considera que “levando em conta a atual situação que atravessamos, é urgente a necessidade de se aprofundar no debate sobre as políticas de saúde mental do município de Vitória da Conquista e região”. Ela complementa: “É necessário pensar nisto como um problema de todos”.

Nesse contexto, um ato público convoca a sociedade para reforçar uma luta que é de todos e propõe a defesa aos Direitos Humanos. O Dia Nacional da Luta Antimanicomial convida toda a comunidade conquistense à reflexão sobre o cuidado em saúde mental e pela defesa de tratamento humanizado e políticas públicas para as pessoas com sofrimento mental.

O Dia 18 de Maio – A data marca o Dia Nacional da Luta Antimanicomial, data instituída em 1987 com o lema “Por uma sociedade sem manicômios”. A luta reforça a importância de se ultrapassar as formas excludentes e violentas de tratamento das pessoas em sofrimento mental e promover a reinserção social daqueles que, por muitas décadas, foram uma ameaça à sociedade. A Lei 10.216 vem promover uma transformação na oferta de tratamento, com serviços alternativos de tratamento, com base comunitária e com a perspectiva de atenção psicossocial, não restringindo o tratamento à medicalização. Dessa forma, a Política de Saúde Mental prevê o fechamento progressivo dos hospitais psiquiátricos e que sejam abertos serviços substitutivos: os CAPS (Centros de Atenção Psicossocial), as Residências Terapêuticas, Programas de Redução de Danos, Centros de Convivências, as Oficinas de Geração de Renda, dentre outros.

Redacão Jornal do Sudoeste

Redacão Jornal do Sudoeste

Desde seu lançamento, o JS vem revolucionando a imprensa regional. Foi e continua sendo pioneiro na adoção de cores em todas as suas páginas e no lançamento de suplementos especiais que extrapolam o simples apelo comercial, envolvendo a comunidade em reflexões sobre temas de interesse geral por ocasião do Natal e dos aniversários de emancipação de municípios da sua área de abrangência de circulação.
Categorias