Semana do Trânsito: a tecnologia salva vida

Já começou a semana que é dedicada a conscientizar as pessoas sobre o ato de dirigir com prudência, mas o que muitas pessoas não sabem, é que isso pode se tornar uma tarefa muito mais fácil. Especialista explica…

Por: Caroline Arnold 

Com certeza todo mundo já se perguntou o por que tantas mortes no trânsito continuam a acontecer. As respostas são inúmeras: imprudência, falta de manutenção, estradas impróprias, entre outros. Todos esses fatores acarretaram em 2019, últimos dados fornecidos pelo Observatório Nacional de Segurança Viária, em 31.945 vítimas fatais nas vias brasileiras.

E se as pessoas descobrissem que seria muito mais fácil prevenir esses acontecimentos por meio da Internet das Coisas (IoT – Internet of Things)?

Daniel Schnaider, especialista em tecnologias disruptivas para prevenção de acidentes no trânsito, apresenta a perda de vidas por essa causa não só no Brasil, mas também no mundo, como fator pandêmico e ressalta que é preciso, urgentemente, falar sobre telemetria.

Não existe saída melhor para preservar vidas no trânsito do que a IoT. As políticas públicas precisam começar a pensar em monitoramento, educação que, por fim, resulta na prevenção. As pessoas não imaginam quantas possibilidades a tecnologia pode trazer, como exemplo, melhorar a direção em até 400%. – Daniel Schnaider (CEO da multinacional Pointer by PowerFleet Brasil)

São três os pilares mais importantes e que podem ser facilmente resolvidos com câmeras e dispositivos instalados, de acordo com o especialista.

– Como estou dirigindo?

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 90% dos acidentes de trânsito são causados por falhas humanas; 15% das mortes no trânsito são provenientes de motoristas alcoolizados e, de acordo com a Associação Brasileira de Medicina de Tráfego, 18% está relacionado à fadiga do condutor. Esses dados mostram que a educação e o monitoramento do condutor são prioridades.

A IoT é capaz de emitir alertas a qualquer sinal de curvas perigosas, freadas bruscas, até mesmo comportamento inadequado do motorista, tudo isso em tempo real. Além de “ensinar” o condutor diariamente a ser melhor em suas decisões, tornando-o mais pró ativo em situações de risco. A tecnologia falará com o motorista e com a central, isso poderá fazer com que o possível infrator seja parado antes mesmo de causar um acidente.

– Manutenção

Não manter o veículo em boas condições, segundo a OMS, representa 4% dos acidentes, ou seja, a falha mecânica pode trazer sérias consequências e as desculpas, provavelmente, são as mesmas: “não sabia que estava assim”, “meu mecânico não disse nada”, “eu mandei para revisão”.

Com um dispositivo acoplado no carro, é possível escanear constantemente todas as funcionalidades do veículo. A tecnologia vai detectar e emitir sinais sonoros e visuais para alertar o condutor do problema, seja nos pneus, motor, direção ou freios.

– Más condições das vias

Ainda a OMS mostra que 6% dos acidentes são provenientes das falhas nas vias. Pode não ser culpa diretamente do condutor, mas com certeza é possível driblar esses obstáculos. Com uma linha de trajeto traçada de forma que identifique as melhores rotas e previna o motorista do que ele irá encontrar, é bastante simples desviar o caminho, ou mesmo, redobrar a atenção.

 

Daniel Schnaider é CEO da Pointer by Powerfleet Brasil, líder mundial em soluções de IoT para redução de custo, prevenção de acidentes e roubos em frotas. Integrou a Unidade Global de Tecnologia da IBM e a 8200 unidade de Inteligência Israelense. Especialista em logística, tecnologias disruptivas, economista e autor da obra “Pense com calma, aja rápido”.

 

Foto de Capa: Freelink

Jornal do Sudoeste

Materias Recentes

Os comentários são de responsabilidade de seus autores.

Deixe seu comentário

Categorias ,