Servidores fazem manifestação na porta do Hospital Geral de Vitória da Conquista

Trabalhadores da Fundação José Silveira que atuam no Hospital de Base reivindicam pagamento de salários e benefícios atrasados e revisão do piso salarial

 

Da Redação

 

 

Parte dos 190 funcionários terceirizados do Hospital Geral de Vitória da Conquista (Hospital de Base), realizaram na manhã da terça-feira (21), uma manifestação de protesto na porta da Unidade, reivindicando pagamento dos vencimentos atrasados e a revisão dos salários. Os servidores – Fisioterapeutas, Enfermeiros e Técnicos de Enfermagem – trabalham nos Setores de Emergência, Clínica Cirúrgica e Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da maior Unidade Pública de Saúde da região, que atende a pacientes de setenta e quatro municípios baianos e de outras cidades do Norte de Minas Gerais, são vinculados à Fundação José Silveira.

Segundo os manifestantes, os salários, que estão defasados, e benefícios como o vale-transporte, entre outros, estão com dois meses de atraso e não há qualquer sinalização em relação à data de pagamento. Essa situação [atraso no ´pagamento dos salários} apontaram os manifestantes, são recorrentes. “Incomum é o pagamento ser feito regularmente, na data prevista. Os atrasos são uma triste rotina para os trabalhadores”, destacou uma das participantes do protesto.

A reportagem do JS conseguiu contato com um dos servidores do Hospital Geral de Vitória da Conquista, contratado através da Fundação José Silveira, que não estava presente ao protesto e concordou em falar desde que tivesse a identidade preservada, alegando que poderia sofrer retaliações, que relatou ser recorrente os atrasos de pagamento. Segundo ele, há informações, extraoficiais, de que a Secretaria de Estado da Saúde da Bahia tem feito regularmente os repasses para a Fundação José Silveira, que por sua vez, não estaria cumprindo com o compromisso de pagar os servidores. Apontou, ainda, que a baixa adesão às manifestação reflete o medo que os funcionários tem de sofrer retaliações, inclusive a perda do emprego.

Outro lado

Contatada pela reportagem do JS, a Secretaria de Estado da Saúde da Bahia, através da Assessoria de Comunicação Social, por e-mail, informou que o Governo do Estado tem repassado regular e consecutivamente todos os pagamentos a fornecedores, inclusive para a Fundação José Silveira. Segundo a nota, em dezembro último foram pagos mais de R$ 23,5 milhões referentes aos contratos da Fundação José Silveira com a Secretaria de Estado da Saúde da Bahia.

Na nota encaminhada à Redação do JS, a Secretaria de Estado da Saúde da Bahia reforça que a Fundação José Silveira é “responsável pelo pagamento dos seus colaboradores, bem como os encargos trabalhistas.

A Secretaria de Estado da Saúde da Bahia concluiu a nota enviada ao JS anunciando que “em virtude de tal denúncia [atrasos nos salários e benefícios trabalhistas e pagamento de salários inferiores ao salário mínimo vigente], será aberta sindicância a fim de verificar tais fatos”.

A Fundação José Silveira, contatada pela reportagem do JS através do telefone (71) 3505-5834. No contato ficou acordado que a Instituição retornaria com um posicionamento oficial, o que não aconteceu até o fechamento da matéria.

 

 

Foto capa: (Divulgação)

Jornal do Sudoeste

Categorias ,